Prefeitura de Maceió divulga estudo de viabilidade financeira para aquisição do Hospital do Coração, que será Hospital da Cidade em 2024.

A Prefeitura de Maceió divulgou um parecer técnico elaborado pela Secretaria Municipal de Ações Estratégicas e Integração Metropolitana (Semaemi), que apresenta um estudo de viabilidade financeira para a aquisição do complexo Hospital do Coração, que se tornará o Hospital da Cidade em 2024. Segundo o documento, os dois prédios foram adquiridos com valores de metro quadrado dentro do praticado no mercado.

O estudo técnico utilizou os métodos comparativos e evolutivos. O primeiro levantou o valor médio do terreno na região onde está localizado o hospital, somado às melhorias feitas no local. Já o método evolutivo destacou o valor do metro quadrado com base no custo unitário básico divulgado pelo Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Alagoas (Sinduscon).

De acordo com o secretário David Ricardo de Luna, combinando os dois métodos, o metro quadrado do Hospital da Cidade ficou em R$8.910,38. É importante ressaltar que um dos prédios está completamente equipado e possui excelentes acabamentos, enquanto o outro não possui equipamentos médicos hospitalares, mas já possui estruturas de uma unidade de saúde, como o elevador leito, que permite que o paciente seja transferido diretamente da ambulância para o elevador, reduzindo os riscos.

O Hospital da Cidade será composto por dois prédios. O primeiro deles, que já está em funcionamento, abriga o Hospital do Coração, com 86 leitos disponíveis em uma área de 11.082,82 metros quadrados. Esta unidade foi desapropriada por R$180 milhões, com um custo de R$16.241,35 por metro quadrado.

Do outro lado, está o Centro Médico, com 18.770 metros quadrados e desapropriado por R$86 milhões. Apesar de ter uma área maior, essa unidade não possui equipamentos. O custo por metro quadrado da desapropriação foi de R$4.581,77.

O parecer técnico também apresenta comparações com outras aquisições na área da saúde em Alagoas. Em 2021, o Hospital Arthur Ramos foi adquirido pela rede D’Or por R$371.800.000,00, com um valor de R$28.360,03 por metro quadrado. Isso representa uma diferença de R$12.118,67 por metro quadrado em comparação com a aquisição feita pela Prefeitura de Maceió.

O estudo também compara o complexo Hospital Metropolitano de Maceió, gerenciado pelo Governo do Estado, entregue em 2020. O hospital possui 13.904,19 metros quadrados de área construída e custou R$81.600.000,00, sem equipamentos. Considerando a atualização dos índices de construção e o valor do terreno para o ano de 2023, o estudo avaliou a unidade em R$112.100.00,00, com um custo de R$8.062,32 por metro quadrado, ainda sem equipamentos.

Com base nesses dados, fica evidente que a aquisição do complexo Hospital do Coração pela Prefeitura de Maceió apresenta um custo mais vantajoso do que outras aquisições recentes na área da saúde em Alagoas. O estudo de viabilidade financeira realizado pela Semaemi confirma a adequação dos valores pagos pelos prédios e reforça a importância do investimento no novo Hospital da Cidade, que beneficiará a população de Maceió a partir de 2024.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo