Tite afirma que é “humanamente impossível” escalar Flamengo 100% em três frentes; Palmeiras é apontado como mais desgastado

Na última quarta-feira, o técnico Tite repercutiu ao declarar que seria “humanamente impossível” escalar um Flamengo 100% em três competições simultâneas. Essa afirmação parece ter sido motivada por reclamações de fadiga vindas de alguns jogadores do elenco. No entanto, uma análise mais aprofundada revela que o rubro-negro não é necessariamente o time mais cansado do país, com outra equipe liderando nesse aspecto.

Um levantamento realizado pelo GLOBO comparando os últimos três campeões brasileiros mostrou que o time considerado titular do Palmeiras tem uma média de 1.171 minutos jogados em 2024, 113 a mais que o 11 ideal do Flamengo, o que equivale a mais de uma partida completa de diferença. Enquanto isso, o Atlético-MG possui uma média de 926 minutos disputados. Esses números levam em consideração os jogos dos atletas convocados para suas seleções na última Data Fifa, no final de março.

No que diz respeito ao desempenho individual dos jogadores, seis atletas do Flamengo ultrapassaram a marca de 1.000 minutos jogados nesta temporada, enquanto o Palmeiras possui nove nomes nessa mesma situação e o Atlético-MG cinco.

Na coletiva de apresentação do atacante Carlinhos, o vice-presidente Marcos Braz e o diretor-executivo de futebol Bruno Spindel comentaram a declaração de Tite. Ambos aproveitaram para criticar a CBF e o calendário brasileiro, destacando as dificuldades enfrentadas pelo Flamengo devido à sobrecarga de jogos.

O Flamengo se prepara para sua estreia no Campeonato Brasileiro amanhã, enfrentando o Atlético-GO fora de casa. A boa notícia para Tite é o retorno de Gerson, que foi liberado pelo departamento médico após se recuperar de uma cirurgia no rim esquerdo. O jogador passou por exames que indicaram excelente resposta ao tratamento, o que deve trazer alívio para o treinador em meio à maratona de jogos que o Flamengo está enfrentando.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo