Tempestade assusta moradores de Caxias do Sul e ‘escurece’ município em plena manhã de sábado

No sábado, 23 de setembro, o município de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, foi atingido por uma tempestade que escureceu a cidade durante a manhã, sendo necessário acender a iluminação pública. Um vídeo compartilhado pela empresa de meteorologia Metsul nas redes sociais mostra uma nuvem do tipo prateleira se aproximando e engolindo a cidade da Serra Gaúcha. As imagens, gravadas em time lapse, revelam a grandiosidade do evento.

De acordo com a Metsul, a nuvem era do tipo Cumulonimbus, que pode alcançar alturas entre 10 e 20 quilômetros. Essas nuvens densas são capazes de bloquear parcialmente a luz do sol, resultando em um escurecimento incomum durante o dia. A empresa de meteorologia explicou que o ar quente avançou pelo Rio Grande do Sul, proporcionando as condições ideais para a formação de nuvens carregadas e temporais. A previsão para o estado era de uma temperatura máxima de 39 graus para aquele dia.

Além do vídeo divulgado pela Metsul, os moradores da Serra Gaúcha também compartilharam imagens da chuva nas redes sociais. Afinal, essa tempestade surpreendeu não apenas pela sua intensidade, mas também por ocorrer no primeiro dia da primavera.

Vale ressaltar que, no começo do mês, um ciclone extratropical atingiu o Rio Grande do Sul, causando grandes estragos. Essa tragédia climática deixou um saldo de pelo menos 47 pessoas mortas, sendo considerada a maior da história do estado.

É importante destacar eventos climáticos significativos como esse, pois eles demonstram a força da natureza e nos alertam sobre os possíveis impactos das mudanças climáticas. É preciso estar preparado e ciente dos riscos que esses fenômenos podem representar. Além disso, é fundamental que as autoridades invistam em medidas de prevenção e infraestrutura para minimizar os danos causados por eventos climáticos extremos. A sociedade também deve estar atenta e consciente de suas ações e escolhas, contribuindo para a sustentabilidade ambiental.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo