SENADO FEDERAL – Vice-presidente da Braskem nega tentativa de refutar laudo da CPI e descarta realocação de moradores em Maceió

Em meio às investigações da CPI da Braskem, o vice-presidente da empresa, Marcelo Cerqueira, prestou depoimento e reforçou a responsabilidade da mineradora pelo afundamento do solo em Maceió. Durante seu depoimento, Cerqueira negou veementemente que a empresa tenha tentado contestar o laudo do Serviço Geológico do Brasil (SGB) que comprovou as consequências da exploração excessiva do sal-gema na região.

O vice-presidente da Braskem enfatizou que todos os acordos firmados pela empresa foram feitos com a aprovação do Ministério Público, Da Defensoria Pública e da Prefeitura de Maceió. No entanto, diante dos questionamentos dos senadores presentes na CPI, Marcelo Cerqueira descartou a possibilidade de realocar os moradores dos bairros afetados, como é o caso dos Flexais.

O senador Rodrigo Cunha (Podemos-AL) ressaltou a importância de se garantir a segurança e o bem-estar da população local que vem sofrendo com rachaduras em suas residências e o isolamento social provocado pela situação. Cunha enfatizou que a mineradora possui recursos suficientes para atender às necessidades dessas pessoas e proporcionar-lhes uma moradia digna e segura.

A audiência na CPI da Braskem evidenciou a gravidade da situação vivenciada pelos moradores de Maceió e a necessidade de se encontrar soluções imediatas para mitigar os impactos causados pelo afundamento do solo na região. A pressão exercida pelos senadores e pela sociedade civil demonstra a importância de se responsabilizar as empresas envolvidas e garantir a reparação dos danos causados à comunidade afetada.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo