SENADO FEDERAL – Supremo arquiva inquérito da Operação Métis no Senado, concluindo não haver crime cometido pelos policiais legislativos investigados.


O Senado Federal comemorou nesta quinta-feira (25) o arquivamento do inquérito relacionado à Operação Métis, que investigou a conduta de quatro policiais legislativos na Casa. A decisão foi tomada pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que concluiu não ter havido crime por parte dos servidores.

Os policiais legislativos haviam sido suspeitos de prestar serviços de contrainteligência para auxiliar senadores investigados na Operação Lava Jato, chegando a serem presos pela Polícia Federal em 2016. No entanto, o desfecho do inquérito confirmou a inocência de Geraldo César de Deus Oliveira, Everton Elias Ferreira Taborda, Antônio Tavares dos Santos Neto e Pedro Ricardo Araujo Carvalho, este último falecido em 2021.

Em nota à imprensa, o Senado Federal expressou sua satisfação com a justiça sendo feita e ressaltou que sempre acreditou na integridade e na legalidade das ações realizadas pelos policiais legislativos. A operação Métis, que buscou investigar denúncias de obstrução às investigações da Lava Jato, não encontrou indícios de crime por parte dos servidores do Senado.

A Casa saudou o desfecho da investigação e manifestou tristeza pela ausência de Pedro Ricardo Araujo Carvalho, que não pôde testemunhar a decisão favorável. A nota divulgada pela Assessoria de Imprensa da Casa reforça o compromisso do Senado em defender a integridade de seus servidores e garantir a transparência e a correção nas investigações.

O arquivamento do inquérito trouxe alívio não apenas para os policiais legislativos envolvidos, mas também para a própria instituição do Senado Federal, que viu a justiça sendo feita e a inocência sendo comprovada após anos de investigações e incertezas.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo