SENADO FEDERAL – Senado aprova projeto que isenta de Imposto de Renda quem ganha até dois salários mínimos; aguarda sanção presidencial.


O Senado aprovou nesta quarta-feira (17) um importante projeto de lei que reajusta a faixa de isenção de Imposto de Renda, beneficiando as pessoas que recebem até dois salários mínimos. Com a aprovação do PL 81/2024, quem ganha até R$ 2.259,20 por mês estará isento de pagar o imposto, aliviando a carga tributária para uma parcela significativa da população.

A medida representa uma importante conquista para os trabalhadores de baixa renda, que muitas vezes se veem sobrecarregados com os custos do imposto de renda. Com a ampliação da faixa de isenção, espera-se que mais brasileiros tenham um alívio financeiro em seus orçamentos mensais.

Após a aprovação no Senado, o projeto agora segue para a sanção presidencial. A expectativa é de que o presidente sancione a medida sem vetos, levando alívio financeiro para milhares de famílias em todo o país.

A discussão sobre a reforma tributária e a revisão das faixas de isenção do Imposto de Renda é um tema recorrente no cenário político e econômico brasileiro. A busca por uma maior progressividade e justiça fiscal tem sido debatida amplamente, e medidas como a aprovada pelo Senado representam avanços nesse sentido.

É importante ressaltar que a isenção do imposto para quem ganha até dois salários mínimos não significa uma renúncia fiscal significativa por parte do governo, mas sim uma medida de justiça social e alívio para os trabalhadores de baixa renda. A expectativa é de que a sanção presidencial seja rápida e que a medida entre em vigor o mais breve possível.

Em meio a um cenário econômico desafiador, a ampliação da faixa de isenção do Imposto de Renda é vista como uma medida positiva para estimular a economia e proporcionar um alívio financeiro para os trabalhadores de menor renda. O desafio agora é garantir a efetividade da medida e monitorar seus impactos na vida dos brasileiros.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo