SENADO FEDERAL – Projeto de lei que regulamenta mercado de crédito de carbono é debatido em subcomissão para desenvolvimento do setor ambiental.


A Subcomissão do Mercado de Ativos Ambientais reuniu-se nesta quinta-feira (13) para discutir o projeto de lei que tem como objetivo regulamentar o mercado de crédito de carbono no Brasil. O PL 182/2024 está em análise no Congresso e gestores públicos juntamente com especialistas debateram a importância da regulamentação para o desenvolvimento do setor e destacaram o potencial dos ativos ambientais na proteção do clima.

Um dos destaques da reunião foi a participação do secretário do Meio Ambiente do Tocantins, Marcello Lelis, que compartilhou informações sobre a implementação do programa de redução de emissões por desmatamento e da degradação florestal no estado. Ele enfatizou a relevância de políticas eficazes para combater problemas ambientais e promover a sustentabilidade.

Além disso, Beatriz Soares, representante do MDIC, e Caroline Prolo, do Observatório do Clima, apresentaram detalhes da proposta de regulamentação do mercado de emissões de gases de efeito estufa. Elas explicaram os benefícios de um sistema regulamentado e a importância de promover a transição para uma economia mais verde e sustentável.

Durante o debate, os participantes ressaltaram a necessidade de incentivar iniciativas que contribuam para a redução das emissões de gases de efeito estufa, bem como para a preservação do meio ambiente. A regulamentação do mercado de crédito de carbono é vista como fundamental para alcançar esses objetivos e para garantir a conscientização e a adoção de práticas mais sustentáveis em diversos setores da economia.

Em resumo, a subcomissão enfatizou a importância de promover políticas ambientais eficientes e de incentivar ações que contribuam para a proteção do clima e a preservação dos recursos naturais. A regulamentação do mercado de crédito de carbono é vista como um passo importante nesse sentido, visando impulsionar a economia verde e sustentável no Brasil.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo