SENADO FEDERAL – CPI da Braskem ouve associações de vítimas e ex-procurador sobre desastre ambiental em Maceió nesta terça-feira.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Braskem terá uma importante reunião na terça-feira (9) para ouvir representantes de duas associações de vítimas do desastre ambiental que impactou mais de 200 mil pessoas em Maceió (AL). Além disso, o ex-procurador-geral de Alagoas, Francisco Malaquias de Almeida Júnior, também prestará depoimento sobre o caso que chocou a região.

A audiência está agendada para as 9h e terá início com os depoimentos de Alexandre Sampaio, presidente da Associação dos Empreendedores e Vítimas da Mineração em Maceió, e Cássio de Araújo Silva, coordenador-geral do Movimento Unificado das Vítimas da Braskem. Eles serão responsáveis por relatar os danos causados à população local e as condições atuais de habitação nos locais afetados. Os pedidos para suas participações foram feitos pelos senadores Rogério Carvalho (PT-SE) e Alessandro Vieira (MDB-SE).

O terceiro depoente, Almeida Júnior, ocupou o cargo de procurador-geral de Alagoas por sete anos, incluindo o período do desastre ambiental. Sua presença é importante, pois ele acompanhou os desdobramentos judiciais do caso e pode contribuir significativamente para esclarecer aspectos legais e responsabilidades.

Após a audiência pública, a CPI da Braskem vai deliberar sobre dois requerimentos de informação propostos pelo senador Omar Aziz (PSD-AM). Aziz solicitou que o prefeito de Maceió, Henrique Caldas, e o governador de Alagoas, Paulo Dantas, prestem esclarecimentos sobre os royalties e outras receitas provenientes da exploração do sal-gema na região desde 1976, quando a Braskem iniciou suas atividades na região.

O desdobramento dessas investigações poderá trazer mais transparência e responsabilização sobre as atividades da empresa e as consequências do desastre ambiental em Maceió. A população aguarda ansiosamente por respostas e por medidas efetivas para mitigar os impactos gerados por essa tragédia.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo