Secretária de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social registra B.O por ameaças e atentado homofóbico por parte de vizinho.




Secretária de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social registra ocorrência por ameaças e dano ao patrimônio

Secretária de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social registra ocorrência por ameaças e dano ao patrimônio

A atual secretária de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social, Kátia Born (PDT), procurou a Polícia Civil (PC) para registrar um boletim de ocorrência (B.O) na noite dessa quinta-feira (1º). O motivo foi o ataque ao veículo de sua companheira, a professora Mara Ribeiro, Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Uncisal, que foi atingido por um disparo de arma de fogo. Kátia revelou que o autor do atentado é o empresário Carlos André César de Miranda, vizinho dela, e que o mesmo foi preso em flagrante durante a noite.

Segundo Kátia Born, as ameaças e ataques homofóbicos nas redes sociais têm sido constantes desde o dia 1º de dezembro do ano passado, vindos do suspeito. Ela também relatou que outros políticos do Estado têm sido citados por ele em vídeos compartilhados nas redes sociais. “Ele mora atrás da minha residência, e eu passei a receber dele uma série de publicações com conteúdo homofóbico nas minhas redes sociais. Os ataques atingem a mim, ao Ronaldo Lessa (vice-governador) e a muitas outras pessoas. Ele vive me esculhambando e eu nem o conheço. Fui à delegacia, à época, e fiz um BO porque não iria brigar com ele”, afirmou a secretária.

Além disso, Kátia Born informou que, alguns dias depois de registrar o boletim de ocorrência anterior, acordou em casa por volta de 4 horas da manhã com o suspeito buzinando e acelerando com o carro, configurando mais uma forma de intimidação. E ontem, ao chegar em casa, começou a receber várias ligações informando que o carro da Mara, que estava na porta, tinha sido atingido por tiros. Após investigação da polícia, o suspeito foi preso.

Como forma de proteção, Kátia solicitou amparo do Estado, pois este foi o primeiro episódio de ameaças que ela sofreu em 27 anos de residência no mesmo endereço. A solicitação de proteção será analisada pelo Poder Judiciário e referendada pelo Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg).

“Todos aqui estamos muito assustados. Os meus vizinhos nem querem sair na rua por causa dessas ameaças. Eu nunca passei por algo parecido em toda a minha vida, nem na trajetória política, quando lutei bravamente pelos trabalhadores enquanto era prefeita”, desabafou a secretária.


Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo