SAÚDE – Projeto Lean nas Emergências melhora atendimento e reduz superlotação em hospitais públicos brasileiros, com queda de 28% na superlotação.

Projeto Lean nas Emergências visa melhorar atendimento nos hospitais públicos brasileiros

A realidade dos prontos-socorros dos hospitais públicos brasileiros é marcada pela superlotação, longos períodos de espera e inadequada infraestrutura para atender aos pacientes em situação emergencial. Entretanto, desde 2017, um projeto liderado pelo Ministério da Saúde em parceria com os hospitais Sírio-Libanês, em São Paulo, e Moinhos de Vento, em Porto Alegre, tem buscado implementar novas práticas para desafogar as emergências dos hospitais públicos.

Chamado Lean nas Emergências, o projeto já apresentou resultados significativos, com uma queda de 28% na superlotação e uma redução de mais de 30% no tempo de permanência dos pacientes em 72 hospitais públicos e filantrópicos espalhados por 26 estados. Este projeto é baseado no conceito de ‘lean’, que visa a produção com máxima eficiência e qualidade, eliminando desperdícios. Essa estratégia de gestão, comumente aplicada em setores econômicos e grandes empresas, tem mostrado resultados promissores também na área da saúde.

Diversas iniciativas estão sendo implementadas pelos hospitais participantes do projeto, como a adição de fluxistas do Pronto-Socorro, que controlam o tempo de permanência dos pacientes para garantir que o atendimento seja o mais rápido possível. Além disso, estratégias de reuniões diárias da equipe e a criação de salas de alta têm promovido agilidade no atendimento, reduzindo o tempo de passagem dos pacientes em 20%.

Segundo Carina Tischler Pires, gerente de Projetos de Compromisso Social do Hospital Sírio-Libanês, o projeto visa promover a autonomia intelectual e assistencial dos profissionais envolvidos, melhorando a passagem do paciente pelo serviço de urgência.

Os resultados do projeto também têm impactado positivamente a taxa de mortalidade, com uma redução projetada média de 3% ao mês, o que significa mais de 10.000 vidas impactadas. Além disso, o projeto estima um aumento de quase 20.000 vagas de internações por mês, sem a necessidade de aumento de custos, construção de novos leitos ou contratação de equipe extra.

Até agosto de 2023, 216 hospitais públicos e filantrópicos terão participado do Lean nas Emergências, com mais de 7.700 profissionais capacitados. Essas iniciativas fazem parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS) e têm a meta de trazer melhorias significativas para o atendimento em emergências hospitalares em todo o país.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo