SAÚDE – Ministério da Saúde e Anvisa alertam sobre riscos de pomadas para cabelo durante o Carnaval: confira cuidados necessários

As pomadas para modelar, trançar ou fixar o cabelo têm sido motivo de alerta por parte do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Esses produtos, comumente utilizados para a manutenção de penteados, especialmente em épocas festivas como o Carnaval, podem causar danos à saúde e à visão se não forem utilizados de forma correta.

Em dezembro do ano passado, houve um registro de diversos eventos adversos e casos de intoxicação devido ao uso dessas pomadas. Por conta disso, cerca de 1,2 mil pomadas tiveram seus registros cancelados, somando-se a outros 1,7 mil ao longo de todo o ano de 2023.

Com a proximidade do Carnaval, o Ministério da Saúde uniu-se à Anvisa para realizar ações de comunicação sobre os cuidados necessários ao utilizar esses produtos. Nas redes sociais, estão sendo divulgados conteúdos direcionados para consumidores, profissionais de beleza e trabalhadores da saúde.

Além disso, o Ministério alertou para a importância de utilizar apenas produtos registrados pela Anvisa, seguindo atentamente as instruções de uso, evitando o uso excessivo e realizando testes de alergia. A Anvisa também estabeleceu critérios para a venda dessas pomadas, como a proibição de lotes com concentração superior a 20% do ingrediente ceteareth-20.

Os principais sintomas de intoxicação por pomadas capilares incluem coceira nos olhos, vermelhidão, irritação, ardência e inchaço. Caso esses sintomas sejam percebidos, é importante procurar assistência médica imediatamente e notificar às autoridades sanitárias.

Se algum efeito adverso for notado, é recomendado que o produto seja guardado para rastreabilidade das informações, como marca e lote, para investigação dos órgãos competentes. A notificação de intoxicação exógena no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) é obrigatória para médicos e outros profissionais de saúde, assim como para os responsáveis por serviços públicos e privados de saúde.

Dessa forma, é fundamental estar ciente dos riscos envolvidos no uso dessas pomadas e seguir as recomendações das autoridades de saúde para evitar problemas de intoxicação e danos à visão.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo