SAÚDE – Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia supera 1,5 mil doadores de tecidos musculoesqueléticos no Dia Nacional da Doação de Órgãos.

Nesta quarta-feira (27), em comemoração ao Dia Nacional da Doação de Órgãos, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), vinculado ao Ministério da Saúde, alcançou uma marca importante ao superar a marca de 1,5 mil doadores de tecidos musculoesqueléticos, que incluem ossos, tendões, meniscos e cartilagens. O chefe do Banco de Multitecidos do Instituto, Rafael Prinz, ressaltou a importância desse marco, que abrange todos os tecidos destinados ao transplante.

O Banco de Multitecidos do Into foi inaugurado em 2002, com foco exclusivo no trabalho com ossos e tendões. Desde então, foram adicionados ao Banco outros tecidos, como globos oculares e pele. Atualmente, o Banco é responsável não apenas pelos tecidos musculoesqueléticos, mas também pelas córneas, pele e globos oculares.

Entre janeiro e agosto deste ano, foram registradas 215 captações de tecidos pelo Into, um aumento de 44% em comparação ao mesmo período do ano passado. Desse total, 173 foram captações de tecido ocular, 29 de tecido musculoesquelético, 30 de diversos tecidos que incluem ossos, tendões e cartilagens, e 13 de pele. Somente em 2022, o banco se tornou o maior distribuidor de tecidos musculoesqueléticos para cirurgias ortopédicas no Brasil, com mais de 43% dos transplantes realizados no país utilizando esses tecidos fornecidos pelo Into.

Para o próximo ano, Rafael Prinz espera aumentar ainda mais o número de córneas captadas, almejando atingir a marca de 900 córneas transplantadas provenientes do banco do Into. Atualmente, cerca de 4 mil pessoas no estado do Rio de Janeiro estão na fila de espera por um transplante de córnea. O chefe do Banco de Multitecidos ressalta a importância da conscientização da população sobre a doação de órgãos e tecidos, especialmente no que diz respeito às córneas, para diminuir o tempo de espera nessas filas e possibilitar que mais pessoas voltem a enxergar.

Além das córneas, Rafael Prinz também destacou a previsão de um recorde na captação de globos oculares. Até o final deste ano, estima-se que o número de globos oculares captados seja o maior desde a inauguração do Banco de Olhos em 2013, alcançando um total de 332 globos oculares. Isso permitirá que um maior número de pessoas tenha a chance de voltar a enxergar.

De acordo com Rafael Prinz, uma única doação pode beneficiar várias pessoas. Por exemplo, dois globos oculares doados podem gerar quatro produtos, como duas córneas e duas escleras (o “branco do olho”). Além disso, cada captação de tecido musculoesquelético fornece, em média, 30 peças que podem beneficiar pelo menos 50 pessoas. Em relação à pele, são captados cerca de mil centímetros quadrados por doador.

Apesar dos avanços, ainda existe a necessidade de conscientizar e sensibilizar a população sobre a importância da doação de órgãos e tecidos. Segundo dados do Registro Brasileiro de Transplantes, no primeiro semestre de 2023, 33% das famílias de potenciais doadores no estado do Rio de Janeiro se recusaram a autorizar a doação. No Brasil, esse número chega a 49%. Rafael Prinz ressalta que é fundamental que as pessoas comuniquem aos familiares sobre o desejo de ser um doador e destaca que a doação pode salvar vidas e proporcionar uma melhor qualidade de vida para muitas pessoas.

Um exemplo de sucesso proporcionado pela doação de tecido musculoesquelético é o caso de Isaac Bertolino, de 18 anos, que graças a um transplante ósseo realizado pelo Banco de Multitecidos do Into, conseguiu evitar a amputação de sua perna e voltar a praticar esportes, como futebol. Isaac foi diagnosticado com osteossarcoma em 2019 e o transplante de ossos saudáveis, doados por outra pessoa, permitiu que ele passasse pela ressecção do tumor e mantivesse a mobilidade dos membros inferiores.

O Banco de Multitecidos do Into desempenha um papel fundamental na captação, processamento e distribuição de córnea, pele e tecidos musculoesqueléticos para transplantes no Brasil. A instituição conta com equipes preparadas para realizar captações 24 horas por dia, durante todos os dias do ano. Todo o processo, desde a captação até a distribuição dos tecidos, é gratuito. O Instituto analisa minuciosamente todo o material coletado antes de disponibilizá-lo para equipes e instituições cadastradas no Sistema Nacional de Transplantes.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo