SAÚDE – Brasil propõe criação de aliança global contra fome e pobreza em reunião virtual do G20


Nesta quarta-feira (21), o Brasil sediou a primeira reunião técnica virtual da Força-Tarefa do G20, visando o estabelecimento de uma aliança global contra a fome e a pobreza. A iniciativa foi proposta pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando o Brasil assumiu a presidência rotativa do G20, em dezembro do ano anterior.

O encontro, que ocorreu de forma online, teve como principal discussão o termo de adesão dos países interessados em ingressar na aliança global. Durante a reunião, o Brasil sugeriu o financiamento de ações contra a fome e a pobreza por países ricos do G20 e grandes empresários. O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, ressaltou a importância do G20 como parceiro destacado, juntando-se a outros esforços para alcançar os resultados pretendidos.

Segundo o ministro, estudos de organismos internacionais apontam a necessidade de aproximadamente US$ 78 bilhões por ano para alcançar o objetivo de reduzir a pobreza e tirar pessoas do Mapa da Fome até 2030, conforme os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

A pactuação global para segurança alimentar está baseada em dois princípios fundamentais: o foco nos mais pobres e vulneráveis e a implementação consistente de políticas nacionais. Dentro desses princípios, as prioridades dos países-membro do G20 foram dadas à alimentação saudável, ao apoio principalmente aos pequenos e médios produtores, e à inovação tecnológica como fator impactante na produção de alimentos em regiões carentes, como na África.

Além dos recursos financeiros, o ministro enfatizou a importância do apoio técnico e a transferência de conhecimento, citando a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) como exemplos de entidades brasileiras que poderiam colaborar nesse sentido.

Dias destacou que após 2017, a fome retornou ao Brasil e a pobreza cresceu devido a mudanças em programas sociais do governo. O país se deparou com 33 milhões de brasileiros passando fome, o que motivou um esforço para reativar programas e tirar o país do Mapa da Fome novamente.

O ministro também chamou a atenção para um estudo da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) que revela a existência de 735 milhões de pessoas passando fome no mundo, em um planeta que produz comida suficiente para sustentar todos. A meta é reduzir esse número o mais próximo possível de zero até 2030.

A reunião técnica da Força-Tarefa do G20 para o estabelecimento da aliança global continuará até quinta-feira (22), com a apresentação de quatro relatórios elaborados por organizações internacionais. Esses estudos buscam soluções e evidenciam os desafios para enfrentamento à pobreza e à fome, incluindo a produção sustentável de alimentos, a proteção social, a criação de resiliência e a colaboração internacional mais eficaz.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo