Rayssa Leal conquista medalha de prata no Mundial de Skate Street e fecha o ano com grande atuação em Tóquio.

A jovem Rayssa Leal, de apenas 14 anos, brilhou mais uma vez no Mundial de Skate Street e fechou o ano com chave de ouro, conquistando a medalha de prata. A brasileira teve uma grande atuação na madrugada deste domingo, no Ariake Coliseum, em Tóquio, no Japão, somando 261,90 pontos e ficando atrás apenas de Yumeka Oda, que alcançou 265,75 pontos e garantiu o primeiro lugar.

Essa é a quarta vez que Rayssa sobe ao pódio em um Mundial, com organização da World Skate. Ela conquistou o bronze em Roma (2021), a prata em São Paulo (2019) e o ouro na edição passada, em Sharjah, nos Emirados Árabes. Com apenas 14 anos, Rayssa Leal já se destaca como uma das principais promessas do skate feminino no mundo.

Além de Rayssa e Oda, o pódio do Mundial de Skate Street foi completado pela japonesa Momiji Nishiya, que somou 243,76 pontos. A australiana Chloe Covell, que liderou todas as fases anteriores, terminou em quarto lugar, com 245,11 pontos. Pâmela Rosa, outra representante brasileira, acabou sendo eliminada na semifinal, deixando Rayssa como a única brasileira na decisão.

A disputa entre Rayssa Leal e Yumeka Oda foi acirrada do início ao fim. A brasileira começou bem, com 84,15 na primeira volta, mas foi superada por Oda, que alcançou 84,22 pontos. Nas manobras, Rayssa liderou com duas notas altas: 86,84 e 90,91, mas Oda conseguiu uma pontuação ainda maior, 94,89, com um feeble flip que a colocou na liderança. Rayssa ainda tentou reverter a situação na última tentativa, mas não conseguiu completar a manobra, garantindo assim o segundo lugar.

Com mais essa conquista, Rayssa Leal encerra o ano de forma espetacular. Antes da prata em Tóquio, a jovem skatista havia sido campeã do Super Crown, organizado pela Street League Skateboarding (SLS). Seu talento e dedicação ao esporte já a colocam como uma das grandes promessas do skate feminino internacional.

No masculino, o pódio teve predomínio do Japão, com Shirai Sora conquistando o primeiro lugar, seguido por Netsuke Kairi em segundo e Horigome Yuro em terceiro. Sem representantes brasileiros na final, o destaque ficou para o domínio japonês na categoria masculina, demonstrando a força e a evolução do skate no país. O americano Nyjah Huston, melhor na fase semifinal, ficou apenas em sétimo lugar, com 251,38 pontos.

Com o encerramento do Mundial de Skate Street, fica evidente o crescimento e a popularidade do skate como esporte de alto rendimento, com atletas jovens como Rayssa Leal e grandes potências como o Japão dominando o cenário internacional. O futuro do skate promete cada vez mais emoção e talento, com a presença de atletas excepcionais e uma evolução constante do esporte.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo