Rali do Bitcoin cria 1.500 novos milionários por dia e impulsiona valorização da criptomoeda para novos recordes


O Bitcoin (BTC) está no meio de um rali impulsionado por fluxos sem precedentes de capital para veículos financeiros com exposição a criptomoedas. No caminho, a moeda digital vem fazendo alguns milionários.

De acordo com a empresa de análise de ativos digitais Kaiko Research, a valorização de +70% do BTC ao longo deste ano criou cerca de 1.500 novas “carteiras milionárias” diariamente (em dólar).

As carteiras de criptoativos são softwares ou dispositivos físicos que dão aos usuários acesso às moedas. Ou seja, não significa que 1.500 milionários únicos surgem todos os dias, pois uma mesma pessoa pode ter mais do que uma carteira.

Apesar do ritmo alto, a quantidade de wallets cheias de criptos criadas hoje é menor do que na alta de 2021, quando mais de 4.000 atingiam a marca de um milhão de dólares diariamente. Para a Kaiko, isso pode indicar que o bull run (movimento de alta) atual ainda está nos estágios iniciais.

Na manhã desta terça-feira (12), o BTC é negociado a US$ 71.912, com leve alta de +0,30% nas últimas 24 horas. Ontem, a criptomoeda atingiu um pico histórico de US$ 72.881.

O sucesso do lote de ETFs (fundos de índice) à vista de BTC dos EUA, lançados em 11 de janeiro, é um dos principais impulsionadores da alta. Os produtos atraíram um fluxo líquido de cerca de US$ 9,5 bilhões até agora, segundo dados da Bloomberg.

“Os ETFs de Bitcoin à vista nos Estados Unidos seguem alimentando a perspectiva positiva. Um pouco de mais de 4% da oferta total de BTC já está na mão dos nove fundos negociados em bolsa, enquanto a BlackRock, sozinha, detém quase 198 mil BTCs”, disse Beto Fernandes, analista da Foxbit.

Efeito halving
No mês que vem, o Bitcoin vai passar pelo halving, atualização programada na blockchain da criptomoeda que reduz a produção de cripto pela metade. O evento também é apontado por especialistas como um catalisador do ativo digital.

Hoje, os mineradores (pessoas e empresas que “trabalham” na rede e ganham criptos como recompensa) colocam no mercado 900 unidades de BTC por dia, em média. Após a mudança, a quantidade cairá para 450. Será a quarta vez que o evento acontece.

Erich Marinelli, analista de criptoativos da Genial Investimentos, explicou que o halving é importante porque afeta diretamente a oferta de novos Bitcoins que entram em circulação, o que pode influenciar seu preço no mercado.

“Como a oferta de novos Bitcoins diminui com cada halving, enquanto a demanda permanece estável ou aumenta, teoricamente, o preço deveria aumentar se todas as outras condições de mercado permanecerem iguais”, disse.

As altcoins (qualquer cripto diferente do BTC) operam mistas nesta manhã, assim como os índices futuros de Wall Street. Por lá, os agentes do mercado estão com as atenções voltadas para a leitura do CPI de fevereiro. Dow Jones Futuro recua -0,03%, S&P 500 Futuro sobe +0,21% e Nasdaq Futuro avança +0,40%.

 

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo