Procura por pescado na Semana Santa aumenta em Alagoas: Vigilância Sanitária orienta população para evitar intoxicações alimentares.


Durante o período da Semana Santa, a procura por pescado, mariscos e crustáceos aumenta significativamente em todo o estado de Alagoas, assim como em outras regiões do país. Para garantir que a população aproveite esse período de forma segura, sem correr o risco de intoxicação alimentar, a Vigilância Sanitária Estadual emite orientações importantes na hora de adquirir esses produtos.

Segundo o gerente da Vigilância Sanitária Estadual, Paulo Bezerra, a escolha correta do produto é essencial para evitar problemas de saúde relacionados ao consumo de peixes, sururus, maçunins e camarões durante a Semana Santa. Ele ressalta a importância de observar os aspectos dos produtos nos estabelecimentos de venda, sejam supermercados, feiras livres ou mercados públicos.

Na hora de comprar peixes, Paulo Bezerra destaca a importância de verificar a translucidez e saliência dos olhos, a coloração avermelhada das guelras, a textura da pele após uma leve pressão, e a aderência das escamas. Caso haja qualquer sinal de deterioração, o consumidor deve acionar a Vigilância Sanitária Municipal.

Já para mariscos e crustáceos, como camarões, sururus e maçunins, o gerente destaca a importância de verificar a textura dos produtos ao apertá-los levemente, bem como a cor e a integridade das pernas. Produtos com textura de borracha ou manchas pretas devem ser evitados, pois indicam deterioração.

Outro ponto importante abordado por Bezerra é o descongelamento adequado dos alimentos previamente congelados. O processo deve ser feito de maneira uniforme na geladeira, sem ser interrompido e reiniciado, para garantir a preservação do sabor e cheiro característicos dos produtos.

Com essas orientações da Vigilância Sanitária Estadual, a população de Alagoas pode desfrutar da Semana Santa de forma segura e saudável, garantindo a qualidade dos pescados e frutos do mar consumidos durante esse período especial.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo