Presidente eleita do México rejeita pedido de diálogo do Equador para restabelecer relações diplomáticas após invasão de embaixada.


A presidente eleita do México, Claudia Sheinbaum, tomou uma decisão firme ao rejeitar o pedido de diálogo do governo de Daniel Noboa para restabelecer as relações diplomáticas com o Equador. A situação entre os dois países se deteriorou rapidamente após a polícia de Quito invadir a embaixada mexicana na capital equatoriana para prender o ex-vice-presidente Jorge Glas, acusado de corrupção. Esse episódio levou a um rompimento das relações entre México e Equador, com graves consequências diplomáticas.

Sheinbaum enfatizou que a atitude do Equador não pode ser ignorada e que não se trata de uma simples questão que possa ser resolvida através de diálogo. A Ministra das Relações Exteriores do Equador tentou amenizar a situação propondo a retomada das negociações, mas Sheinbaum foi categórica em afirmar que o Equador precisa se retratar publicamente e reconhecer o erro cometido.

O caso agora está nas mãos da Corte Internacional de Justiça, após o México entrar com uma ação contra o Equador por violação da inviolabilidade de uma missão diplomática. Sheinbaum ressaltou a importância de aguardar a deliberação do órgão de Justiça e enfatizou que a postura do Equador durante esse processo será determinante para o desfecho da situação.

A presidente eleita demonstrou firmeza ao não ceder às pressões do governo equatoriano e ao buscar justiça através das instâncias internacionais. A decisão de não retomar as relações diplomáticas até que o Equador se retrate publicamente mostra a determinação do México em defender seus interesses e sua soberania. Resta aguardar os desdobramentos desse impasse diplomático e o desfecho que a Corte Internacional de Justiça trará para essa controvérsia entre os dois países.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo