Presidente do Solidariedade se entrega à Polícia Federal em Brasília após foragir desde quarta-feira e é alvo de investigação por desvio de recursos.


O presidente do Solidariedade, Eurípedes Gomes Júnior, finalmente se entregou às autoridades policiais neste último sábado (15) em Brasília. Ele estava foragido desde a última quarta-feira (12) e decidiu se entregar à Polícia Federal (PF) acompanhado de seu advogado por volta das 11h45 da manhã.

Eurípedes é alvo de uma operação que investiga supostos desvios de recursos dos fundos partidário e eleitoral do partido PROS, incorporado pelo Solidariedade no ano passado. As acusações apontam para desvios de recursos durante as eleições de 2022. A Polícia Federal informou que o presidente do Solidariedade permanecerá sob custódia até que seja liberado para ingressar no sistema penitenciário.

A defesa de Eurípedes afirmou que irá provar perante a Justiça a “insubsistência dos motivos” para a prisão, alegando a “total inocência” do dirigente partidário. Enquanto isso, o Solidariedade divulgou uma nota informando que o presidente pediu licença da presidência do partido por tempo indeterminado. O deputado federal Paulinho da Força (SP) assumirá interinamente o comando nacional da sigla.

As investigações tiveram início a partir de uma denúncia feita por Marcus Vinicius Chaves de Holanda, ex-presidente do PROS, que acusou Eurípedes Júnior de desviar cerca de R$ 36 milhões do partido. A situação continua sendo acompanhada de perto pela opinião pública e promete desdobramentos significativos nos próximos dias.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo