Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, planeja acabar com a reeleição para presidente, governadores e prefeitos, mas encontra resistência do governo.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), anunciou sua intenção de pautar o fim da reeleição para mandatos majoritários, como os de presidente, governadores e prefeitos, em 2024. Pacheco reconheceu, no entanto, que o governo e o próprio presidente Lula devem resistir à proposta. Ele ressaltou que a mudança não teria efeito imediato para as próximas eleições e que o prazo para sua implementação seria objeto de negociação.

Além do fim da reeleição, o presidente do Senado defende a aprovação de um aumento nos mandatos executivos, propondo que passem de 4 para 5 anos. Segundo Pacheco, a vontade dos senadores em relação ao fim da reeleição é muito forte e a questão será objeto de debates e audiências públicas no futuro. Ele reconheceu que pode haver resistência por parte do governo, mas enfatizou que a vontade dos senadores prevalecerá.

Outra proposta de Pacheco é a unificação das eleições municipais e nacionais, de forma a criar um intervalo maior entre as disputas eleitorais. Ele argumenta que essa mudança traria benefícios significativos para o país, pois permitiria que os parlamentares se concentrassem mais nos mandatos e menos nas disputas político-eleitorais.

Em resumo, o presidente do Senado está engajado em promover mudanças no sistema eleitoral brasileiro, visando acabar com a reeleição para mandatos majoritários e unificar as eleições municipais e nacionais. No entanto, ele reconhece que enfrentará resistência por parte do governo, mas destacou a determinação dos senadores em relação a essas propostas. Estas questões certamente serão objeto de debates e negociações nos próximos anos, à medida que se busca um consenso sobre as mudanças necessárias para aprimorar o sistema político do país.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo