POLÍTICA – Plano de atentado contra governador do Rio de Janeiro é descoberto e segurança é reforçada para proteger sua família

O Gabinete de Segurança Institucional do Governo do Estado do Rio de Janeiro intensificou as medidas de segurança em torno do governador Cláudio Castro e sua família após a descoberta de um plano de atentado contra eles. De acordo com o setor de inteligência da Polícia Civil, a primeira-dama e os dois filhos do casal também estavam sendo alvos dessa ameaça. As informações foram confirmadas pela assessoria de imprensa do governo nesta quinta-feira (26).

Segundo a nota divulgada à imprensa, o plano foi descoberto após uma série de ataques realizados por membros da milícia ao transporte público na zona oeste da capital. Esses atentados surgiram após a morte de Matheus da Silva Rezende, conhecido como Faustão, que ocupava a posição de segundo homem de uma facção miliciana que atua nessa região. Ele era sobrinho de Luís Antônio da Silva Braga, o chefe da facção conhecido como Zinho.

As autoridades estaduais afirmam que as informações continuam sendo investigadas com rigor para identificar e punir os responsáveis. Os atentados realizados pela milícia provocaram destruição na frota de ônibus da cidade, com 35 coletivos incendiados, além do incêndio de uma cabine de trem da SuperVia. O clima de medo gerado por esses ataques resultou no fechamento de escolas públicas e privadas na região, bem como no encerramento antecipado das atividades comerciais em diversos centros comerciais. Em Santa Cruz, bairro mais afetado, cerca de 7 mil pessoas não receberam atendimento médico na terça-feira devido ao fechamento das unidades de saúde municipais.

Diante da gravidade da situação, o governador Cláudio Castro viajou até Brasília na quarta-feira para buscar apoio federal no combate às milícias que controlam grandes áreas na capital do estado. Castro também compareceu ao Senado e apresentou propostas para o endurecimento das penas contra esses grupos criminosos.

Tanto o governo estadual quanto o governo federal anunciaram a criação de uma força-tarefa com o objetivo de enfraquecer o poder econômico das quadrilhas. O grupo contará com a participação de representantes de instituições de segurança e controle financeiro, como a Fazenda Estadual, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e a Secretaria Nacional de Segurança Pública, dentre outros. A coordenação desse trabalho ficará a cargo da Casa Civil do governo do Rio.

As autoridades ressaltam a importância de reforçar a segurança do governador e sua família diante dessa ameaça em potencial. A população espera que as ações tomadas pelo governo sejam eficazes para punir os responsáveis pelos atentados e restaurar a tranquilidade na zona oeste do Rio de Janeiro.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo