Policial militar é indiciado por homicídio qualificado e outros três crimes após assassinato de mulher em Maceió

O assassinato de Rosineide da Costa Silva, de 53 anos, ocorrido no dia 8 deste mês, na residência da vítima, no bairro Cidade Universitária, em Maceió, teve seu inquérito policial concluído pelo delegado Thiago Prado, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa. A investigação revelou que um policial militar, de 35 anos, foi indiciado e responderá por pelo menos quatro crimes.

De acordo com as informações trazidas pelo delegado Thiago Prado, o policial militar terá que responder por importunação sexual, pois teria investido contra uma sobrinha da vítima com a intenção de se envolver romanticamente com ela, porém foi rejeitado. Além disso, ele agrediu uma amiga de Rosineide, que tentou evitar o crime, caracterizando assim lesão corporal. O policial também teria atirado contra um sobrinho da vítima, numa tentativa de homicídio.

O indiciamento do policial militar também é referente ao homicídio de Rosineide. Segundo o delegado Thiago Prado, o policial efetuou oito disparos utilizando uma pistola calibre 9mm, atingindo a vítima nos membros inferiores, na região do abdômen e na mão esquerda. O militar foi indiciado por homicídio qualificado, sendo atribuídos a ele motivo fútil e impossibilidade de defesa por parte da vítima.

Agora que o inquérito foi concluído, o caso será encaminhado ao Poder Judiciário para que o acusado possa responder a ação penal. Além disso, o documento será enviado ao Comando Geral da Polícia Militar, a fim de instruir o procedimento administrativo disciplinar aberto dentro da corporação.

É importante ressaltar que o caso chocou a população de Maceió e levantou questionamentos sobre a conduta e treinamento dos policiais militares. A sociedade espera que as autoridades competentes conduzam uma investigação e um julgamento justos, garantindo que o acusado seja responsabilizado pelos seus atos.

Enquanto isso, a família de Rosineide e seus amigos estão em luto pela perda, buscando conforto uns nos outros e buscando justiça para o ente querido que foi brutalmente assassinado em sua própria residência.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo