Passageiros não pagam taxas para remarcar voos com destino ao RS e recebem reembolso total por cancelamentos durante tragédia climática

Os passageiros que precisarem remarcar voos com destino ao Rio Grande do Sul estão sendo beneficiados com medidas especiais das companhias aéreas, em virtude da trágica situação causada pelas fortes chuvas que assolam o estado. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) oficializou a isenção de taxas para a mudança de datas de voos adquiridos, bem como o reembolso total ou crédito para cancelamentos.

Desde o dia 11 de maio, as empresas aéreas foram instruídas a seguir essas diretrizes, visando auxiliar os passageiros diante da crise que o Rio Grande do Sul enfrenta. Com quase 90% das cidades do estado afetadas pelas enchentes, novas rotas aéreas emergenciais foram implementadas para atender as áreas mais impactadas.

O Aeroporto Internacional Salgado Filho, localizado em Porto Alegre, permanece fechado por tempo indeterminado devido aos danos provocados pelas inundações. Essa situação sem precedentes levou a Secretaria Nacional do Consumidor a solicitar à Anac uma flexibilização das regras de transporte aéreo no estado, considerando as circunstâncias excepcionais dos aeroportos locais. Como resposta, a agência determinou que não haja custos adicionais para os passageiros ao alterarem seus voos.

A Anac estabeleceu que a remarcação de voos poderá ser feita sem custos até um ano a partir da data original, e que o reembolso deverá ser oferecido em dinheiro, além de créditos para utilização futura. As companhias aéreas também foram orientadas a priorizar o transporte dos passageiros para o aeroporto mais próximo de seu destino, dando ênfase ao atendimento dos passageiros com bilhetes já emitidos.

Além disso, a Anac determinou a suspensão imediata da venda de passagens para voos com origem e destino em Porto Alegre, medida que permanecerá em vigor até nova avaliação da agência. Essas ações têm o objetivo de garantir a assistência necessária aos passageiros afetados pela situação de calamidade no Rio Grande do Sul, demonstrando a preocupação das autoridades em minimizar os impactos causados pelas enchentes históricas no estado.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo