Navio de guerra americano intercepta narcossubmarino com 2,3 toneladas de cocaína no mar da Guiana, prendendo quatro pessoas


Na última quinta-feira, autoridades dos Estados Unidos divulgaram que um navio de guerra americano conseguiu interceptar um narcossubmarino carregado com 2,3 toneladas de cocaína no mar da Guiana. A operação, que contou com a participação da Agência de Combate às Drogas dos Estados Unidos e da Unidade Antinarcóticos da Alfândega guianense, resultou na prisão de quatro indivíduos envolvidos no transporte da droga.

O navio foi localizado a aproximadamente 241 quilômetros da costa da Guiana, uma ação que foi considerada “histórica” pela Embaixada dos Estados Unidos no país sul-americano. Todo o processo de apreensão da droga será conduzido nos Estados Unidos, de acordo com as autoridades.

O incidente ocorreu no dia 21 de março, quando o USS Leyte Gulf, um cruzador de mísseis teleguiados com capacidade de atuar em diversas situações táticas, conseguiu interceptar o narcossubmarino.

Em nota oficial, a embaixada americana destacou o comprometimento dos EUA em colaborar com o governo da Guiana e outros parceiros na região do Caribe para combater o tráfico de drogas e o crime transnacional.

Este não foi o único caso de apreensão de narcossubmarinos na região. Em janeiro, tanto a Colômbia quanto o Equador divulgaram apreensões semelhantes, demonstrando a continuidade do desafio do narcotráfico na região. Nos dois casos, os semisubmersíveis transportavam grandes quantidades de cocaína e tripulações que foram presas pelas autoridades locais.

As Forças Armadas do Equador e da Colômbia realizaram operações coordenadas para interceptar as embarcações, destacando a importância da colaboração entre países no combate ao tráfico de drogas. Os narcossubmarinos apreendidos tinham 15 metros de comprimento e foram detectados nas águas do Oceano Pacífico, em ações que demonstram a persistência do problema do narcotráfico na região.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo