MUNICIPIOS – Ministério Público de Alagoas incentiva criação de reserva ecológica no sertão de Delmiro Gouveia, reforçando a preservação ambiental.

O meio ambiente acaba de receber um importante aliado na cidade de Delmiro Gouveia, no sertão de Alagoas. O Ministério Público de Alagoas (MPAL), representado pelos promotores de Justiça Lavínia Fragoso, Alberto Fonseca e Kleber Valadares, realizou uma visita técnica ao Empreendimento Castanho com o intuito de discutir a criação de uma unidade de conservação na caatinga. A ação contou com a presença de equipes do Instituto do Meio Ambiente (IMA), do Instituto Para Preservação da Mata Atlântica (IPMA) e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh).

Durante a visita, a promotora de Justiça Lavínia Fragoso, da Promotoria de Justiça de Recursos Hídricos, ressaltou a importância da formalização do pedido de criação da reserva ecológica do Castanho. Segundo ela, essa iniciativa faz parte dos objetivos do Projeto Pró-Reservas, que visa estabelecer unidades de conservação para proteger o meio ambiente.

A ideia de criar uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) dentro do Monumento Natural do São Francisco (MONA) tem como objetivo promover o turismo sustentável na região. O promotor de Justiça Alberto Fonseca destacou a importância da participação dos proprietários de áreas particulares na conservação da biodiversidade, ampliando a rede de preservação.

O presidente do IPMA, Fernando Pinto, ressaltou a importância do trabalho de criação de RPPNs na caatinga, um bioma frágil que abriga espécies raras, como o macaco-prego galego. A RPPN do Castanho servirá como exemplo para outros proprietários da região se engajarem na conservação ambiental.

Após receber orientações e esclarecimentos, o proprietário do Empreendimento Castanho, Eliseu Gomes, se comprometeu a transformar seu espaço em uma Reserva Particular do Patrimônio Natural. Os promotores de Justiça e toda a comitiva inspecionaram o Rio São Francisco e as áreas que serão abrangidas pela RPPN.

O Ministério Público tem se destacado como defensor do meio ambiente, sendo premiado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) pelo projeto Pró-Reservas. Este projeto incentiva a criação de RPPNs, que são destinadas a pesquisas científicas, turismo ecológico e educação ambiental. Desde seu lançamento em 2020, o projeto já transformou hectares em áreas de conservação, contribuindo para a preservação da biodiversidade no estado de Alagoas e para as gerações futuras.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo