Morre Missinho, fundador e ex-vocalista do Chiclete com Banana, aos 64 anos: legado musical e contribuição à banda são lembrados.

A música baiana perdeu uma de suas figuras mais emblemáticas nesta quinta-feira (16), com a morte do cantor e compositor Edmilson de Amorim Ferreira, mais conhecido como Missinho, aos 64 anos. Fundador e primeiro vocalista da lendária banda “Chiclete com Banana”, Missinho deixou um legado marcante que marcou gerações e se tornou um dos principais ícones do axé music.

O falecimento de Missinho foi confirmado pela sua família, após uma longa batalha contra problemas de saúde. O cantor deu entrada no Hospital Roberto Santos, em Salvador (BA), no início de maio, devido a uma crise renal. Infelizmente, seu estado de saúde se deteriorou rapidamente devido à diabetes e ele acabou sucumbindo a uma falência múltipla de órgãos.

Como autor de sucessos que se tornaram verdadeiros hinos do repertório do Chiclete com Banana, como “Mistério das Estrelas”, “Olhos da Noite” e “Tieta do Chiclete”, Missinho deixou a banda em 1986 para seguir carreira solo. Seu posto foi ocupado por Bell Marques, mas sua influência e talento permaneceram presentes na história da música baiana.

A notícia da morte de Missinho pegou fãs e amigos de surpresa, e ainda não há informações sobre o velório e o enterro do artista. Em suas redes sociais, a banda se manifestou lamentando o ocorrido e reconhecendo a importância fundamental de Missinho em sua trajetória. “Foi bom o tempo que ele quis ficar no Chiclete com Banana. A sua participação foi de fundamental importância”, afirmaram os integrantes.

A música baiana perde não apenas um grande talento, mas uma figura querida e icônica que deixou sua marca na história do axé music. Missinho será lembrado com carinho e saudades por todos que tiveram a oportunidade de conhecer sua música e sua arte. Que sua voz continue a ecoar nos corações daqueles que o admiram.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo