Ministro da Integração anuncia decreto de ajuda humanitária ao Rio de Janeiro após fortes chuvas e mortes registradas.

Ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, anunciou em uma entrevista à GloboNews que a pasta está trabalhando para publicar um decreto no Diário Oficial da União ainda neste domingo, 14 de novembro, para disponibilizar ajuda humanitária do governo federal ao Rio de Janeiro, que está sofrendo com fortes chuvas desde o último sábado.

Góes ressaltou que a intenção é reconhecer sumariamente a situação de emergência e publicar o decreto no Diário Oficial da União, para que o Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional possa atuar com ajuda humanitária e viabilizar outras políticas públicas para a região afetada. Além disso, o ministro enfatizou a importância da colaboração de outros ministérios, como o da Saúde, para fornecer kits de saúde e garantir assistência às vítimas das chuvas.

Ele também destacou a burocracia envolvida no processo de ajuda, que passa pela decretação de estado de emergência pelos municípios ou estados afetados. Góes afirmou que já havia conversado com o prefeito Eduardo Paes, que emitiu um decreto municipal de situação de emergência, permitindo a atuação do governo federal.

Além disso, o ministro enfatizou a importância do diálogo com autoridades locais e a necessidade de aprovar um plano de ajuda humanitária antes de iniciar o repasse de recursos e ajuda material. Ele previu que a aprovação do plano poderia ocorrer já na segunda-feira, 15 de novembro, e que os recursos financeiros emergenciais poderiam ser empenhados na terça-feira, 16 de novembro.

Góes anunciou que também entrará em contato com outros prefeitos que estejam enfrentando dificuldades e pretende ajudar nos planos de trabalho, reforçando a importância de desburocratizar ao máximo o processo. Além disso, ele planeja conversar com o governador do Rio, Claudio Castro, mesmo estando de férias fora do país, para coordenar as ações de governo.

Por fim, o ministro aproveitou a entrevista para criticar os governos anteriores, alegando que os recursos para prevenção de desastres foram reduzidos a “quase nada” nos seis anos antes do governo Lula. Ele mencionou que o presidente Lula aumentou esses recursos, recriou o Ministério das Cidades e lançou o Novo PAC, oferecendo oportunidades para que os governos estaduais inscrevessem seus projetos prioritários de infraestrutura.

A situação no Rio de Janeiro continua a exigir esforços de todas as esferas do governo e atenção especial às vítimas das fortes chuvas. A ajuda humanitária do governo federal é aguardada com expectativa para minimizar os impactos da tragédia.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo