Marcha em Munique contra a extrema direita reúne dezenas de milhares de pessoas e é interrompida

No último domingo, uma marcha de protesto contra a extrema direita em Munique foi interrompida após a reunião de dezenas de milhares de pessoas no centro da cidade alemã. Os organizadores do evento afirmaram que cerca de 50.000 pessoas compareceram à manifestação, o dobro do número registrado para o evento, enquanto outras estimativas colocaram o número ainda mais alto. Segundo um jornalista da AFP, as estimativas variaram, mas todas indicaram uma adesão significativa à manifestação.

Essa onda de protestos contra a extrema-direita na Alemanha vem ocorrendo em meio a uma série de manifestações em todo o país. No último sábado, aproximadamente 250 mil pessoas compareceram às ruas em todo o país com cartazes denunciando a conduta extremista do partido Alternative für Deutschland (AfD). Essa mobilização foi motivada por revelações de que membros da sigla discutiram planos de deportação em uma reunião de extremistas, causando indignação na sociedade alemã.

No sábado, cerca de 35 mil manifestantes se reuniram sob a bandeira “Defenda a democracia – Frankfurt contra a AfD”, marchando no coração financeiro da Alemanha. Outra cidade do norte, Hanôver, também registrou um número semelhante de manifestantes, alguns deles portando cartazes com a mensagem “Fora nazistas”. Além dessas grandes manifestações, protestos também ocorreram em cidades como Braunschweig, Erfurt e Kassel, além de várias cidades menores, refletindo a mobilização contínua ao longo da última semana.

Essa onda de protestos contra a extrema direita na Alemanha representa um movimento significativo de repúdio à conduta extremista e xenófoba do partido AfD. A alta adesão às manifestações em diferentes cidades do país mostra que a sociedade alemã está mobilizada e disposta a se posicionar contra qualquer movimento que represente uma ameaça aos valores democráticos e inclusivos da nação. A repercussão desses protestos também levantou debates sobre o papel da extrema direita na política europeia e reforçou a importância de se manter vigilante contra discursos e práticas discriminatórias e antidemocráticas.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo