MACEIÓ – Prefeitura de Maceió celebra 92 anos da conquista do voto feminino com homenagem a Almerinda Farias Gama, pioneira na luta das mulheres negras.

No dia 24 de abril, o Brasil celebra os 92 anos da conquista do voto feminino, um marco importante na história do país. Nessa data especial, a Prefeitura de Maceió faz questão de relembrar a história de Almerinda Farias Gama, uma maceioense que foi presidente do Sindicato das Taquígrafas e Datilógrafas e uma das poucas mulheres negras que lutaram pelo direito da mulher ao voto durante os processos eleitorais no Brasil.

Almerinda foi também a única maceioense a exercer o seu direito ao voto no pleito que elegeu a Assembleia Nacional Constituinte em 1933. Sua história é marcada pelo ativismo e pela luta por igualdade de gênero e racial. Para marcar a importância de Almerinda como precursora da luta das mulheres negras na política brasileira, a Prefeitura de Maceió instalou um painel com sua foto e um texto explicativo sobre sua atuação como advogada e sindicalista.

“A nossa grande comemoração é visibilizar a história da sufragista negra. É enfatizar que a Prefeitura de Maceió vem reconhecendo a sua importância quando coloca Almerinda na Praça da Mulher, dando um espaço referencial para que ela esteja lá”, destaca Arísia Barros, coordenadora do Núcleo da Igualdade Racial da Secretaria Municipal da Mulher, Pessoas com Deficiência, Idosos e Cidadania.

Além disso, a criação da Coordenadoria da Igualdade Racial em 2023 é um reconhecimento da Prefeitura de Maceió à luta de mulheres como Almerinda pela conquista de espaços e visibilidade na sociedade. Arísia ressalta a importância de dar visibilidade à mulher negra e destaca a iniciativa de criar o Dia da Almerida em Maceió, no dia 16 de maio, data do nascimento de Almerinda, como forma de homenagear e reconhecer a importância de suas contribuições para a sociedade.

Portanto, a história e o legado de Almerinda Farias Gama são lembrados e valorizados pela Prefeitura de Maceió, que busca promover a igualdade e o reconhecimento das mulheres negras na sociedade.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo