MACEIÓ – Papeleiras de Maceió sofrem vandalismo e geram custo extra para a Prefeitura, prejudicando limpeza urbana

As papeleiras espalhadas pelas ruas e calçadões de Maceió têm sido objeto de vandalismo por parte de alguns cidadãos, causando transtornos à prefeitura da cidade. Somente no início de janeiro, 15 dispositivos foram depredados, gerando um prejuízo extra de R$ 14 mil aos cofres do município, uma vez que o valor para recuperar cada papeleira gira em torno de R$ 850,00. O alto custo para restaurar esses equipamentos compromete os recursos que poderiam ser aplicados em melhorias na limpeza urbana da capital.

Segundo o diretor-presidente da Autarquia Municipal de Desenvolvimento Sustentável e Limpeza Urbana (Alurb), Moacir Teófilo, a ação de depredação das papeleiras é um problema recorrente em Maceió. Cada dispositivo tem capacidade para 30 litros de resíduos, que são recolhidos diariamente pelos agentes de limpeza. No entanto, a prática de vandalismo, que inclui quebra e tentativa de furto das papeleiras, dificulta o trabalho de recolhimento de resíduos do poder público municipal.

O crime de danos causados ao patrimônio público, previsto no Artigo 163 da Lei nº 2.848/40 do Código Penal Brasileiro, prevê detenção de um a seis meses ou aplicação de multa para os infratores. Por isso, a população é incentivada a denunciar atos de vandalismo, contribuindo para a preservação dos equipamentos públicos. As denúncias podem ser feitas pelo número 153 da Guarda Municipal ou, em casos mais graves, pela Polícia Militar, através do número 190.

A Prefeitura de Maceió tem se esforçado para deter a ação de vândalos e, para auxiliar no combate ao vandalismo, Moacir Teófilo ressalta que a população pode ajudar. Além disso, a Alurb disponibiliza o número de telefone (82) 3312-5380 para informações e agendamento de parques, além do e-mail protocolo@alurb.maceio.al.gov.br, para comunicação com a autarquia. A sede da Alurb fica localizada na Rua Cel. Pedro Lima, 69, no bairro Jaraguá, e o horário de atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 14h.

Com esta situação recorrente, é essencial que medidas preventivas sejam tomadas para evitar prejuízos aos cofres públicos e garantir a conservação das papeleiras, possibilitando uma cidade mais limpa e aprazível para todos os cidadãos.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo