MACEIÓ – Defesa Civil de Maceió trabalha para retomar monitoramento do solo após rompimento da mina 18 da Braskem

O rompimento da mina 18 da Braskem em Maceió gerou uma série de desdobramentos, e a Defesa Civil da cidade vem trabalhando intensamente para retomar o monitoramento do solo na região afetada. Segundo informações divulgadas pelo órgão, o equipamento instalado na cavidade que era responsável por detectar com alta precisão as movimentações do terreno foi perdido devido ao rompimento.

O retorno do monitoramento com a tecnologia apropriada é crucial para identificar se o solo continua em movimento e para avaliar a dimensão do desastre. Através dos estudos pertinentes, será possível determinar se o rompimento se restringiu ao trecho da Lagoa Mundaú ou se o colapso foi mais abrangente.

O coordenador da Defesa Civil Municipal, Abelardo Nobre, afirmou que as equipes técnicas estão buscando a forma mais viável de retomar o monitoramento da mina rompida. Ele também ressaltou que o rompimento não foi precedido ou sucedido por abalos sísmicos, o que descarta a ocorrência de tremores de terra como possível causa do desastre.

Apesar da perda do equipamento DGPS da mina 18, que era utilizado na rede de monitoramento em torno dos poços de sal-gema e nas áreas de desocupação dos bairros, a Defesa Civil informou que os demais equipamentos instalados nas perfurações estão funcionando normalmente. Até o momento, não foram detectadas movimentações atípicas que possam sugerir dolinamento, que é uma depressão circular resultante de erosão subterrânea.

A região afetada pelo rompimento e as áreas próximas aos poços de sal continuam sendo monitoradas 24 horas por dia, conforme destacou Abelardo Nobre. Ele ressaltou que o evento se concentrou na mina 18 e que não houve vítimas, uma vez que a área estava desocupada. Além disso, o monitoramento não indica comprometimento das minas próximas.

A situação continua sendo acompanhada de perto pela Defesa Civil, que está empenhando esforços para garantir a segurança da população e a estabilidade da região afetada pelo rompimento da mina. A população local vem recebendo informações atualizadas e orientações sobre a situação, e a Defesa Civil reforçou os canais de atendimento para o esclarecimento de dúvidas.

Os desdobramentos do rompimento da mina 18 da Braskem em Maceió continuam sendo monitorados de perto, e as autoridades estão empenhadas em garantir a segurança e o bem-estar da população afetada. A retomada do monitoramento do solo na região é uma das prioridades das equipes responsáveis, que estão trabalhando incansavelmente para avaliar os impactos do desastre e adotar as medidas necessárias para mitigar os danos causados.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo