Lula se reúne com sindicalistas e MST para discutir demandas da classe trabalhadora e apoio a Jean Paul Prates na Petrobras.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com sindicalistas, representantes da sociedade civil e membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na manhã deste sábado em uma reunião que prometeu trazer discussões importantes sobre a gestão da Petrobras. Dentre as entidades presentes estava a Federação Única dos Petroleiros (FUP), que se posicionou a favor do atual CEO da estatal, Jean Paul Prates, em meio a uma crise interna.

A FUP publicou uma nota na quinta-feira em que criticou publicamente o que chamou de “espancamento público” de Prates, que vem enfrentando uma série de pressões nos últimos dias, incluindo críticas do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira. A reunião, no entanto, não teve a crise na Petrobras como tema central, mas sim a busca pela visão dos sindicalistas sobre a gestão e suas demandas.

De acordo com fontes próximas ao presidente Lula, a situação de Prates na estatal está complicada há meses, envolvendo disputas internas por investimentos e dividendos, além de questões como a política de gás. O ministro Silveira admitiu em entrevista que há um conflito entre seu papel e o do presidente da Petrobras, contando com o apoio do ministro da Casa Civil, Rui Costa.

Enquanto a FUP defendeu a atual gestão da companhia, reconhecendo os esforços de Prates em fortalecer a Petrobras e gerar empregos, a entidade deixou claro que a decisão final sobre o CEO cabe a Lula. A nota também elogiou o presidente da estatal por restabelecer o diálogo com os petroleiros e por sua atuação na mudança da política de preços de combustíveis.

Dessa forma, a reunião liderada por Lula se tornou um espaço para debates e trocas de ideias sobre o cenário atual da Petrobras e do setor petrolífero no Brasil, com representantes de diversas entidades presentes para expressar suas opiniões e preocupações. O futuro de Jean Paul Prates na direção da estatal ainda permanece incerto, aguardando um desfecho por parte do presidente Lula.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo