JUSTIÇA – Ministro Alexandre de Moraes é escolhido para relatar inquérito do assassinato de Marielle Franco no STF: o que esperar?


O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi designado para relatar o inquérito que investiga os mandantes do brutal assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. A escolha do ministro como relator foi feita por meio do sistema eletrônico de distribuição de processos da Suprema Corte.

A investigação, que anteriormente estava sob responsabilidade da Polícia Federal e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), foi remetida ao STF devido à citação de uma autoridade com foro privilegiado no processo. Com a chegada do inquérito ao Supremo, o caso agora segue em segredo de Justiça, o que impede a divulgação dos detalhes e motivos que levaram à transferência da investigação.

De acordo com a legislação brasileira, é competência do STF julgar autoridades com foro privilegiado, como deputados federais e senadores, em questões criminais. Dessa forma, o ministro Alexandre de Moraes ficará responsável por conduzir as investigações e eventual processo relacionado ao caso.

O assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes ocorreu em 14 de março de 2018, quando os dois foram alvejados dentro do veículo em que estavam transitando na região central do Rio de Janeiro. O crime chocou o país e, até o momento, não teve seus autores definitivamente identificados e levados à justiça.

Recentemente, houve manifestações de amigos e familiares das vítimas, assim como de outras pessoas que sofrem com a violência no Brasil, em protesto contra a impunidade e falta de resolução do caso. Além disso, em outro desdobramento da investigação, o policial militar reformado Ronnie Lessa, apontado como um dos executores do assassinato, está próximo de ser levado a júri popular.

No entanto, devido a um acordo de delação premiada assinado por Lessa com as autoridades, há incertezas sobre a manutenção de sua prisão. A população aguarda ansiosamente por respostas e justiça para o caso que marcou o país.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo