INTERNACIONAL – Poeta e romancista palestina morre sob bombardeio em Gaza


A renomada poeta e romancista palestina, Heba Abu Nada, faleceu na última sexta-feira (20) durante um bombardeio em Khan Yunis, Faixa de Gaza. A notícia foi divulgada pelo Ministério da Cultura palestino, e seu legado emocionou o mundo das letras e da arte.

Nascida em Meca em 1991, Abu Nada era uma talentosa escritora que estudou bioquímica na Universidade Islâmica de Gaza e concluiu um mestrado em nutrição clínica. Em 2017, sua estreia no mundo literário, o romance intitulado “Oxygen is Not for the Dead”, conquistou o segundo lugar no Prêmio Sharjah de Criatividade Árabe, na categoria romance. Infelizmente, a obra não possui tradução para o português.

Nos últimos dias, a poetisa havia utilizado sua conta no Twitter para expressar suas perspectivas sobre o conflito na Faixa de Gaza, que se intensificou desde o dia 7 de outubro. Em uma de suas publicações, datada do dia 8 de outubro, ela escreveu: “A noite da cidade é escura, exceto pelo brilho dos mísseis, silenciosa, exceto pelo som dos bombardeios, assustadora, exceto pela garantia das súplicas….”.

A notícia do falecimento de Abu Nada gerou uma onda de tristeza e solidariedade nas redes sociais. O cientista político e pesquisador palestino, Abdalhadi Alijla, lamentou a perda da talentosa poetisa e romancista feminista de Gaza. Vários outros artistas e escritores também expressaram suas condolências.

Este não é um caso isolado. Infelizmente, nos últimos dias, diversos artistas têm sido vítimas fatais do conflito entre Israel e Hamas. Há exatamente 15 dias, a artista plástica Heba Zagout, de 39 anos, foi morta junto com seus dois filhos pequenos em um ataque aéreo em Gaza. Heba Zagout era conhecida por suas pinturas vibrantes que retratavam paisagens e pessoas palestinas, especialmente cenas de Gaza e Jerusalém.

Outro caso que chocou o mundo foi a morte do jovem artista Mohammed Sami, de apenas 23 anos. Ele estava no Hospital al-Ahli al-Arabi, como voluntário, organizando atividades para ajudar no estado psicológico das crianças afetadas pelo conflito. Infelizmente, ele e sua família foram vítimas de um ataque ao hospital na última terça-feira (17).

Essas perdas trágicas de artistas talentosos são um duro golpe para a Palestina e para o mundo das artes. Suas obras eram uma forma de expressar suas realidades e lutar pela paz em meio ao conflito. É importante que suas histórias sejam lembradas e compartilhadas para que nunca sejam esquecidas.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo