INTERNACIONAL – Líderes muçulmanos pedem fim imediato das operações militares na Faixa de Gaza em reunião de cúpula em Riad.

Líderes de países muçulmanos se reuniram em um encontro de cúpula em Riad, na Arábia Saudita, no último sábado (11), para pedirem o fim imediato das operações militares na Faixa de Gaza. Eles alegaram que Israel tem responsabilidade nos “crimes” cometidos contra os palestinos e exigiram que os Estados Unidos e Israel encerrem as hostilidades na região.

O príncipe Mohammed bin Salman, líder de fato da Arábia Saudita, convocou os líderes árabes e muçulmanos para a reunião, em um momento no qual o país busca exercer influência para pressionar Israel e os Estados Unidos a encerrarem a guerra na Faixa de Gaza.

Líderes como o presidente iraniano, Ebrahim Raisi, o presidente turco, Tayyip Erdogan, o emir do Catar, e o presidente sírio, Bashar al-Assad, que foi readmitido na Liga Árabe neste ano, participaram da cúpula.

O príncipe Mohammed condenou veementemente a guerra na região, afirmando que ela representa uma catástrofe humanitária e demonstra o fracasso do Conselho de Segurança e da comunidade internacional em deter as violações das leis internacionais por parte de Israel. O presidente palestino, Mahmoud Abbas, também se pronunciou na reunião, denunciando a “guerra genocida” que seu povo está enfrentando e pedindo o fim das agressões por parte de EUA e Israel.

O presidente turco, Tayyip Erdogan, fez um apelo para uma conferência internacional de paz, afirmando que uma solução permanente para o conflito entre Israel e os palestinos depende da formação de um Estado palestino com base nas fronteiras de 1967.

Além disso, Erdogan criticou Israel por suas ações em Gaza, intensificando suas críticas ao país e apoiando uma solução de dois Estados. Ele também defendeu o Hamas, acusando Israel de se vingar de crianças, mulheres e bebês de Gaza.

A reunião dos líderes muçulmanos e árabes ocorre em um momento de grande tensão no Oriente Médio, com os combates entre Hamas e Israel resultando em centenas de mortes na Faixa de Gaza. A cúpula terminou com um apelo unânime dos líderes islâmicos por um cessar-fogo imediato e por esforços para buscar uma solução de paz duradoura na região.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo