IML de Maceió divulga lista de corpos não reclamados e procura familiares para garantir sepultamento digno

O Instituto Médico Legal Estácio de Lima (IML), localizado em Maceió, divulgou nesta quinta-feira, 05, a lista dos corpos que deram entrada e continuam nas instalações do órgão. O objetivo é encontrar familiares dessas pessoas e garantir seu direito de sepultar seus entes queridos.

De acordo com o IML, durante a segunda quinzena de setembro, quatro homens deram entrada e seus corpos não foram reclamados. Dois desses corpos foram oficialmente identificados por meio de exame de necropapiloscopia, mas, caso não sejam procurados por algum familiar, poderão ser enterrados como indigentes.

Segundo o Departamento de Identificação Humana (DIH) do IML, um desses corpos foi identificado como sendo o de Carlos Henrique da Silva, de 46 anos, pele parda, olhos castanhos, cabelos longos e 1,60 metro de altura. Ele era natural de Maceió e morava no bairro da Levada. Seu corpo foi recolhido no dia 21 de setembro no Hospital Escola Dr. Hélvio Auto, após falecimento por morte clínica.

O outro corpo foi identificado como sendo o de José Thiago Gonçalves de Oliveira, de aproximadamente 32 anos, conhecido como Foguinho. Ele era supostamente natural de Murici e vivia em situação de rua desde a adolescência. Seu corpo foi recolhido no último dia 17 de setembro, na Praça Sinimbu, no centro de Maceió, e foi identificado através do arquivo criminal, de acordo com o papiloscopista Rogério Castro.

Os outros dois corpos que deram entrada no mesmo período ainda não foram identificados devido a problemas nos exames de necropapiloscopia. O IML está divulgando as características físicas e as vestimentas desses corpos na esperança de que algum familiar os reconheça e procure o órgão para iniciar o processo de identificação oficial para liberação dos corpos.

Um desses corpos é de um homem adulto que estava usando uma bermuda cinza e uma camiseta bege com um desenho na frente. Ele tinha pele parda e não possuía sinais de nascença, marcas ou tatuagens. Seu corpo foi recolhido no dia 23 de setembro no município de União dos Palmares.

O outro corpo também é masculino e tem pele parda. Ele foi recolhido no dia 23 de setembro, mas no bairro do Clima Bom, em Maceió. De acordo com o relatório do DIH, ele estava vestindo um calção preto com listras laterais de cor laranja, uma camiseta azul e tinha várias tatuagens, incluindo uma faca na perna direita, o nome Manoel no braço direito e uma bruxa com um revólver.

Familiares que conseguirem identificar os corpos com base nos dados pessoais ou características físicas divulgadas devem procurar a sede do IML de Maceió, localizada no Tabuleiro do Martins, para dar início ao processo de liberação dos corpos para o sepultamento. Caso ninguém se apresente para reclamar os corpos, a chefia do IML informou que, após 60 dias, poderá realizar o sepultamento como indigentes.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo