Hoje, o Parlamento sediou uma sessão especial para debater cultura popular e homenagear mestras do artesanato. Um evento inspirador!

O fortalecimento da cultura popular alagoana será tema de uma sessão especial que acontecerá na próxima segunda-feira, dia 28, às 14h. A iniciativa foi proposta pela deputada estadual Fátima Canuto (MDB) e contará com a presença de diversos representantes do artesanato, da arte e da cultura de Alagoas. Além disso, durante a sessão, também será realizada uma cerimônia solene para homenagear as Mestras Vânia, Irinéia e Morena com a comenda Lêdo Ivo.

Para a deputada, é extremamente importante fortalecer a cultura popular alagoana, no que diz respeito ao artesanato, folclore, arte e gastronomia local, entre outras manifestações. Segundo ela, é preciso valorizar essas expressões culturais, implementar políticas públicas e atender às demandas daqueles que estão na linha de frente desse setor, pois isso é fundamental para a economia local, sustentável e criativa, além de ser uma fonte de renda para muitas famílias alagoanas.

As Mestras Vânia, Irinéia e Morena, referências no artesanato do estado, serão agraciadas com a Comenda Lêdo Ivo, uma das mais altas honrarias concedidas pela Casa de Tavares Bastos a personalidades que prestaram relevantes serviços à preservação ou desenvolvimento da literatura, artes e cultura de Alagoas.

Vânia Oliveira, também conhecida como Mestra Vânia, é uma referência em fibra e papietagem. Sua arte tem como elemento central a cultura popular. Ela utiliza fitilhos coloridos para criar peças que representam os folguedos alagoanos, como chapéus de guerreiro e bumbas meu boi. Autodidata, Mestra Vânia começou sua trajetória no artesanato ao tentar produzir a decoração e as lembranças da festa de um ano de sua primeira filha. Com o tempo, desenvolveu peças inspiradas nos folguedos alagoanos e se apaixonou pelo artesanato. Atualmente, é uma das artesãs mais respeitadas do estado, sendo reconhecida como Mestra pelo Programa do Artesanato Brasileiro e Patrimônio Vivo de Alagoas.

Outra homenageada, Irinéia Rosa Nunes da Silva, é uma das mais reconhecidas artistas da cerâmica popular brasileira. Mestra artesã do Patrimônio Vivo de Alagoas desde 2005, ela começou sua carreira no artesanato no povoado quilombola Muquém, em União dos Palmares. Inicialmente, Irinéia fazia panelas de barro para auxiliar sua mãe, mas acabou recebendo outras encomendas, como peças feitas de cerâmica para serem pagas como promessas – uma forma de agradecimento a um santo. A partir daí, começou a criar cabeças, pés e outras esculturas. Hoje, suas obras mais famosas são “A Jaqueira” e “O Beijo”, que retratam episódios de lutas e conquistas vividos pelos moradores da sua comunidade e do Quilombo dos Palmares.

Dona Morena, ou Bernadete Rosália Teixeira, é a mais antiga bonequeira da Ilha do Ferro, em Pão de Açúcar. Com quase um século de vida, ela também é contadora de histórias e se tornou uma referência para quem quer seguir o mesmo ofício na região. Tudo começou quando, na infância, seu pai comprou bonecas para as quatro filhas. No entanto, a boneca de Dona Morena pareceu menos bonita do que as das irmãs, o que a deixou chateada. Por causa disso, ela rasgou suas bonecas e teve que refazê-las. Foi assim que descobriu seu talento e paixão pelo artesanato. Desde então, Dona Morena não parou de costurar bonecas, que se destacam por suas roupas enfeitadas e acessórios, deixando sua marca na história dos artesãos da Ilha do Ferro.

A sessão especial e a cerimônia de entrega da comenda Lêdo Ivo serão momentos especiais para valorizar e reconhecer o trabalho dessas importantes personalidades da cultura popular alagoana. O evento é uma oportunidade para destacar a importância do artesanato, da arte e da cultura local, além de estimular o fortalecimento e a preservação dessas expressões tão significativas para a identidade alagoana.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo