Governo dos EUA está “profundamente preocupado” com condições de detenção de Navalny em colônia penal no Ártico russo.


O governo dos Estados Unidos expressou preocupação nesta segunda-feira (25) com as condições de detenção do líder opositor russo Alexei Navalny, que foi transferido para uma colônia penitenciária no Ártico. A notícia veio à tona após quase três semanas sem notícias do ativista, o que gerou preocupação em vários países ocidentais e na ONU.

Em um comunicado, um porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos afirmou: “Ficamos felizes em receber informações de que ele foi localizado. No entanto, continuamos profundamente preocupados com o bem-estar e as condições de sua detenção injusta”.

Navalny, considerado um grande inimigo do presidente Vladimir Putin, cumpre pena de 19 anos de prisão por “extremismo”. Ele foi detido em janeiro de 2021 ao retornar à Rússia depois de se recuperar na Alemanha de um envenenamento que, segundo ele, foi planejado pelo Kremlin.

O opositor de 47 anos havia desaparecido no início de dezembro da colônia penitenciária na região de Vladimir, a 250 km de Moscou, onde estava detido até então. Isso indicava que ele provavelmente tinha sido transferido para a colônia penal em Kharp, no Ártico russo.

A pequena cidade de Kharp, localizada em Yamalia-Nenetsia, uma região remota no norte da Rússia, abriga várias colônias penais e fica além do Círculo Polar Ártico, com uma população de cerca de 5.000 habitantes.

A transferência de Navalny para o Ártico despertou ainda mais preocupação devido ao isolamento e às severas condições climáticas da região. Além disso, a falta de notícias sobre o paradeiro do ativista levantou questionamentos sobre a transparência do sistema penitenciário russo.

A declaração do governo dos Estados Unidos demonstra a crescente preocupação internacional com a situação de Navalny e a repressão política na Rússia. A transferência do líder opositor para uma região remota e isolada como o Ártico evidencia as medidas extremas adotadas pelas autoridades russas para silenciar vozes dissidentes.

A prisão de Navalny e as condições de sua detenção continuam a gerar tensões entre a Rússia e os países ocidentais, reforçando a polarização existente entre as potências globais. A situação de Navalny permanece incerta, mas a pressão internacional tende a continuar aumentando à medida que mais detalhes sobre sua condição e paradeiro forem revelados.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo