Fotojornalista da Reuters morre em bombardeio israelense no sul do Líbano, dois profissionais da imprensa ficam feridos


Em um trágico incidente ocorrido na fronteira entre Israel e Líbano nesta sexta-feira, o fotojornalista Issam Abdallah, da Reuters, perdeu a vida após um ataque aéreo israelense. Além dele, outros dois profissionais da imprensa também ficaram feridos durante os bombardeios. A notícia foi confirmada pela agência de notícias.

Os jornalistas estavam cobrindo uma série de bombardeios na área quando foram atingidos por um dos ataques. As imagens capturadas ao vivo pela Reuters são perturbadoras. Em meio ao caos, uma mulher grita afirmando que não consegue sentir suas pernas, enquanto a equipe de reportagem desesperadamente tenta se proteger.

Em um comunicado oficial, a Reuters expressou profunda tristeza com a morte de Issam Abdallah. O fotojornalista fazia parte de uma equipe da agência que fornecia sinais de vídeo ao vivo do sul do Líbano.

A ofensiva israelense foi confirmada por fontes tanto libanesas quanto israelenses e teria sido uma resposta a uma alegada “tentativa de invasão” por parte dos inimigos do Estado Judeu. As Forças de Defesa de Israel (IDF) relataram uma explosão na cerca de segurança próxima à cidade de Hanita, causando apenas danos leves. Em resposta, os militares israelenses realizaram disparos de artilharia.

O sul do Líbano é uma área de atuação do grupo Hezbollah, considerado terrorista por Israel, e que declarou apoio ao Hamas. Fontes libanesas confirmaram que os bombardeios ocorreram após uma tentativa de infiltração em solo israelense.

Segundo relatos da agência de notícias AFP, os bombardeios israelenses atingiram as proximidades das localidades de Dhayra e Alma al-Shaab, ambas próximas à fronteira, além de um posto do Exército do Líbano.

A situação na fronteira entre Israel e Líbano continua tensa, com um aumento das hostilidades nos últimos meses. Ataques e contra-ataques têm sido frequentes, causando mortes e ferimentos de civis e profissionais da imprensa. A comunidade internacional deve atuar urgentemente para buscar uma solução diplomática que garanta a paz e a segurança na região. A Reuters está colaborando com as autoridades locais e oferecendo apoio à família e aos colegas de Issam Abdallah.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo