ESPORTE – Ana Marcela Cunha, bicampeã olímpica, busca novos desafios ao se transferir para a Itália


A nadadora Ana Marcela Cunha está prestes a enfrentar um novo desafio em sua carreira esportiva. No próximo dia 1º de setembro, a campeã olímpica de águas abertas nos Jogos de Tóquio em 2021, viajará para a Itália, onde passará a residir e treinar visando a preparação para a Olimpíada de Paris, que acontecerá no próximo ano.

Essa mudança de ares foi uma decisão tomada pela própria atleta. Em julho, pouco antes do Campeonato Mundial de Fukuoka no Japão, Ana Marcela decidiu trocar de técnico. Após uma parceria de dez anos com Fernando Possenti, a nadadora agora trabalhará com o italiano Fabrizio Antonelli. Ana Marcela, que costumava treinar no Centro de Treinamento do Time Brasil, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, passará a morar em Roma e utilizará a praia de Óstia, próxima à capital italiana, para os seus treinamentos.

Durante sua parceria com Possenti, Ana Marcela conquistou seis dos sete ouros que possui em Campeonatos Mundiais, além da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Agora, com seu novo técnico, a nadadora terá a oportunidade de trabalhar ao lado de grandes nomes dos esportes aquáticos, como o italiano Gregorio Paltrinieri e a alemã Leonie Beck, ambos campeões nas provas de águas abertas.

Em entrevista à Agência Brasil, Ana Marcela destacou a importância dessa mudança em sua carreira e ressaltou a oportunidade de estar em um ambiente que vai tirá-la da zona de conforto. Além disso, a proximidade da língua italiana com o português também é vista como um ponto positivo pela nadadora, uma vez que Fabrizio Antonelli já fala o idioma.

No entanto, o ano de 2023 não será marcado apenas pela mudança de técnico na carreira de Ana Marcela. A nadadora passou por um período de quatro meses sem treinar e oito meses sem competir devido a uma cirurgia no ombro esquerdo que realizou em novembro. Durante a recuperação, Ana Marcela teve a oportunidade de focar em sua vida pessoal e se casou com a preparadora física Juliana Melhem em abril.

Após o retorno às competições em maio, com uma medalha de bronze na prova de 10 km da etapa de Soma Bay no Egito, a nadadora obteve mais um bronze no Campeonato Mundial de Fukuoka em julho. Apesar de não ter conseguido uma vaga antecipada para a Olimpíada de Paris, Ana Marcela se mostrou satisfeita com seu desempenho e encara o próximo desafio, o Mundial de Doha em fevereiro de 2023, como sua última chance de garantir a classificação.

Com o objetivo de encerrar a prova entre as 13 melhores, Ana Marcela está confiante e acredita que é possível conquistar a vaga olímpica. Ela ressalta que o retorno após a cirurgia foi positivo e que a medalha de bronze no Mundial mostrou que ela estava de volta ao cenário mundial das águas abertas.

A nadadora encerra a entrevista afirmando que a mudança para a Itália e a parceria com Fabrizio Antonelli serão fundamentais para que ela alcance seus objetivos e destaca a importância de ter tido um período de descanso para cuidar de sua vida pessoal ao lado de sua esposa. Ana Marcela segue determinada em sua jornada rumo aos Jogos Olímpicos de Paris e espera conquistar mais medalhas para o Brasil.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo