Especialista do HGE explica diferença entre casos de urgência e emergência para busca imediata de serviços de saúde.

O Hospital Geral do Estado (HGE), localizado em Maceió, apresenta-se como um centro de referência no atendimento de Média e Alta Complexidade em Alagoas. No entanto, é fundamental compreender em que situações é necessário recorrer aos serviços desta unidade de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

De acordo com Luzenira Marques, supervisora de Enfermagem da Área Azul do HGE, a distinção entre casos de urgência e emergência é primordial para orientar a busca pelo atendimento adequado. A urgência caracteriza-se como uma potencial ameaça em um futuro próximo, podendo evoluir para uma emergência se não tratada corretamente. Por sua vez, a emergência representa uma situação que ameaça imediatamente a vida do paciente, demandando intervenção imediata para evitar complicações e possíveis óbitos.

Dentre os quadros que necessitam de atendimento emergencial no HGE estão: perda súbita de consciência, convulsões, sintomas de Acidente Vascular Cerebral (AVC), parada cardíaca, dores intensas no peito, associadas a palidez e sudorese, e sintomas de Infarto Agudo do Miocárdio. Ademais, situações como falta aguda de ar, hemorragias intensas, traumas graves, agressões sérias por armas de fogo ou branca, intoxicações e afogamentos também requerem assistência no maior hospital público de Alagoas.

Manoel Deodato, borracheiro de 24 anos, compartilhou a experiência de acompanhar o pai em atendimento no HGE após ferimento infeccioso decorrente de uma mordida de capivara. Ele destacou a importância da avaliação da equipe de Classificação de Risco para direcionar o tratamento de forma adequada. Os profissionais do HGE estão capacitados para prestar atendimento qualificado, priorizando a preservação da vida e a segurança dos pacientes.

Nesse contexto, a atuação da Classificação de Risco é essencial para a identificação e triagem dos casos que demandam atenção imediata. Por meio da metodologia do Protocolo de Manchester, a equipe otimiza o uso de recursos, garante rapidez no atendimento dos pacientes em estado mais grave e contribui para uma melhor organização dos fluxos de atendimento estabelecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Portanto, a orientação é clara: diante de qualquer dúvida, acione imediatamente os serviços de emergência, seja o Samu, o Corpo de Bombeiros ou dirija-se à unidade de saúde mais próxima, priorizando a preservação da vida em situações de urgência e emergência.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo