Embaixador brasileiro em Israel é chamado de volta ao Brasil após comentários de Lula sobre ataques na Faixa de Gaza serem comparados ao Holocausto.

O governo brasileiro tomou uma decisão inédita nesta segunda-feira, ao convocar de volta o embaixador do Brasil em Israel, Frederico Meyer, após autoridades israelenses o convocarem para prestar esclarecimentos sobre uma declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A medida tem o potencial de impactar significativamente as relações diplomáticas, políticas e econômicas entre os dois países.

A decisão de chamar de volta um embaixador é considerada uma atitude grave no mundo da diplomacia. Ela pode levar a uma redução no nível de comunicação e cooperação diplomática entre os países envolvidos, incluindo a suspensão de diálogos bilaterais, reuniões de alto nível e negociações diplomáticas. Em casos extremos, a chamada de volta de um embaixador pode ser seguida pela expulsão de diplomatas do país anfitrião e pela imposição de sanções econômicas, comerciais ou políticas.

No caso em questão, a crise diplomática teve início quando o presidente Lula comparou os ataques israelenses na Faixa de Gaza ao Holocausto, durante a Segunda Guerra Mundial, que resultou no extermínio de mais de seis milhões de judeus. As declarações de Lula geraram indignação por parte do governo de Israel, que anunciou que iria repreender o embaixador brasileiro em Tel Aviv. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, qualificou as palavras do presidente brasileiro como “vergonhosas e graves” e declarou Lula como “persona non grata” em Israel até que ele peça desculpas e se retrate de suas palavras.

Em resposta, o presidente Lula afirmou que não pedirá desculpas por sua declaração, o que aumenta a tensão entre os dois países. Vale ressaltar que, no passado, Lula já recusou visitar o túmulo de um sionista e defendeu o Estado palestino, o que contribui para o histórico de tensões em torno do conflito israelo-palestino.

A crise diplomática entre Brasil e Israel é um tema que requer atenção e acompanhamento constante, uma vez que o impacto de uma chamada de volta de um embaixador pode ter implicações de longo prazo, não apenas nos aspectos diplomáticos, mas também nas relações políticas e econômicas entre os dois países. A atitude do governo brasileiro em convocar de volta o embaixador representa um marco significativo e pode gerar desdobramentos complexos e imprevisíveis nas relações bilaterais.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo