ECONOMIA – O consumo nos lares registrou alta de 2,47% no primeiro semestre, segundo dados da Abras.

O Consumo nos Lares Brasileiros, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), teve um aumento de 2,47% no primeiro semestre deste ano. Na comparação com o mesmo período do ano passado, a alta foi de 6,96%. Em relação a maio, houve um aumento de 0,55%. Os dados englobam diferentes tipos de lojas, como atacarejo, supermercado convencional, hipermercado, minimercado e e-commerce.

Todos os indicadores são ajustados pela inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com Marcio Milan, vice-presidente da Abras, esse aumento no consumo se deve ao recuo do desemprego, aos reajustes salariais e à consolidação dos programas de transferência de renda. Ele afirmou que, nos próximos meses, se a inflação continuar sob controle, o consumo tende a aumentar por causa de datas importantes, como o Dia dos Supermercados, a Black Friday e as festas de fim de ano.

A Abras também apontou que o aumento no consumo foi influenciado pelos recursos provenientes dos programas de transferência de renda do governo federal, como o Bolsa Família e o Benefício Variável Familiar. Além disso, os reajustes do salário-mínimo, as bolsas da educação e o pagamento de precatórios e do 13º dos aposentados e pensionistas do INSS também contribuíram para o aumento do consumo.

Em relação aos preços, a cesta de 35 produtos de largo consumo registrou uma queda de 1,75% no primeiro semestre. Os cortes de carne bovina apresentaram as maiores quedas no período, assim como o óleo de soja, o café e a farinha de trigo. Por outro lado, a farinha de mandioca, o leite longa vida, o arroz e o feijão tiveram um aumento nos preços.

Para o resto do ano, a Abras estima que o pagamento do 13º salário, as restituições do Imposto de Renda e a continuidade dos programas de transferência de renda devem impactar positivamente o consumo das famílias. Além disso, as datas comemorativas, como o Dia dos Supermercados, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Black Friday, Natal e Ano Novo também devem incentivar o consumo.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo