ECONOMIA – Ministro da Fazenda busca declaração “ambiciosa” do G20 sobre tributação dos super-ricos em encontro sob presidência brasileira.


O Brasil está empenhado em liderar a discussão no G20 sobre a tributação dos super-ricos. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que o país buscará uma declaração “ambiciosa” do grupo, que reúne as maiores economias do mundo, em relação à taxação das grandes fortunas. Sob presidência brasileira, a reunião em São Paulo teve como objetivo construir a cooperação internacional para garantir que os ricos paguem sua parcela justa de impostos.

Haddad, que participou presencialmente do encontro após se recuperar da Covid-19, destacou a importância de se ter uma declaração do G20 sobre tributação internacional até a próxima reunião ministerial, em julho. O ministro ressaltou a necessidade de acabar com a situação em que os bilionários pagam pouco ou até mesmo nada em impostos, explicando que eles se utilizam de brechas nos sistemas tributários para evitar contribuir de forma adequada.

O economista francês Gabriel Zucman apresentou uma proposta na reunião para tributação dos super-ricos, despertando diferentes visões e abrindo caminho para futuras discussões embasadas em evidências. Haddad aproveitou para destacar a cooperação internacional já existente sobre o tema, citando a aprovação de medidas pela OCDE e a resolução da Assembleia Geral da ONU que abriu uma nova possibilidade para a tributação internacional.

Essa preocupação com a taxação dos super-ricos é crucial, segundo Haddad, para garantir a justiça fiscal e a equidade no sistema tributário global. Com a presidência brasileira do G20, o país se coloca na liderança das discussões sobre um tema fundamental para a promoção do bem-estar social e o combate às desigualdades econômicas. A busca por uma declaração ambiciosa no G20 sobre tributação internacional é um passo importante nessa direção.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo