ECONOMIA – “Famílias de renda alta sentem menos impacto da inflação em março, aponta estudo do Ipea”


No mês de março, as famílias com renda mensal mais elevada, acima de R$ 21.059,92, sentiram menos impacto da inflação em comparação com os lares de renda muito baixa, inferiores a R$ 2.105,99. Enquanto a inflação oficial do país ficou em 0,16%, o peso para o bolso das famílias de renda alta foi de apenas 0,05%, enquanto para as famílias de renda muito baixa foi de 0,22%.

Essa análise foi realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), vinculado ao Ministério do Planejamento e Orçamento, e divulgada nesta segunda-feira (15) por meio do estudo Indicador de Inflação por Faixa de Renda. O Ipea desmembra o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No período de fevereiro para março, a inflação das famílias de renda alta diminuiu de 0,83% para 0,05%, enquanto as famílias de renda muito baixa tiveram uma desaceleração menor, passando de 0,78% para 0,22%. A pesquisadora Maria Lameiras destaca que os preços dos alimentos no domicílio e dos combustíveis foram os principais responsáveis por este alívio inflacionário em março.

A diferença na percepção da inflação entre os grupos familiares se deve em grande parte ao perfil de consumo de cada um. As famílias mais pobres são mais sensíveis às variações nos preços dos alimentos, enquanto as famílias de renda alta são mais impactadas por mudanças nos preços de passagens aéreas, por exemplo.

No acumulado de 12 meses, a situação se inverte. As famílias de renda muito baixa observam um aumento de 3,25% no custo de vida, abaixo da média nacional de 3,93%. Já as famílias de renda alta tiveram uma inflação de 4,77%, sendo os itens de transporte e saúde e cuidados pessoais os que mais pesaram no orçamento dessas famílias.

Essa disparidade na percepção da inflação entre os diferentes estratos socioeconômicos demonstra a importância de políticas públicas que levem em consideração as necessidades e realidades distintas das diversas camadas da população brasileira.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo