ECONOMIA – “DOC chega ao fim após 40 anos: transferências entre instituições financeiras distintas não serão mais processadas”

Após quatro décadas de existência, o tradicional modelo de transferência via Documento de Ordem de Crédito (DOC) chega ao fim. A partir de hoje, 29 de fevereiro, as ordens deixam de ser processadas, marcando o encerramento de uma era tanto para pessoas físicas quanto jurídicas que realizam transferências entre instituições financeiras distintas.

Em meados de janeiro, as instituições financeiras já haviam encerrado as emissões e agendamentos de DOC, mas as transferências agendadas até esta quinta-feira ainda estavam sendo executadas. Além do DOC, a Transferência Especial de Crédito (TEC) também está sendo descontinuada, modalidade utilizada por empresas para pagamentos de benefícios a funcionários.

Nos últimos anos, o DOC e a TEC perderam terreno para o Pix, sistema de transferência instantânea do Banco Central que não possui custos para pessoas físicas. Originado em 1985, o DOC permitia o repasse de recursos até as 22h, com a transação sendo concluída no dia útil seguinte. Em caso de transações após esse horário, o valor só era creditado dois dias úteis depois.

De acordo com levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), com base em dados do Banco Central, as transações via DOC totalizaram 18,3 milhões no primeiro semestre de 2023, representando apenas 0,05% do total de 37 bilhões de operações realizadas no período. Em comparação com outras modalidades, o DOC ficou consideravelmente atrás dos cheques, TED, boletos, cartão de débito, cartão de crédito e, principalmente, do Pix, que se tornou a forma preferida dos brasileiros, com 17,6 bilhões de operações.

Enquanto o DOC chega ao seu fim, a Transferência Eletrônica Disponível (TED), utilizada principalmente para transferência de grandes valores, continuará ativa. Criada em 2002, a TED permite enviar recursos entre instituições diferentes até as 17h em dias úteis, com a transação sendo concluída em até meia hora.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo