CVM suspende registro de OPA da Cielo em meio a polêmica sobre valor de fechamento do capital em Bolsa, acionistas questionam proposta.


A Cielo, uma das maiores empresas de meios de pagamento do Brasil, está enfrentando uma situação delicada em relação ao seu processo de registro de Oferta Pública de Aquisição (OPA). Segundo informações divulgadas pela empresa, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) suspendeu o processo, em meio a uma convocação de uma assembleia especial de acionistas que questionavam o valor do fechamento do capital em Bolsa.

A decisão da CVM de suspender o processo foi comunicada pela Cielo em um fato relevante divulgado na noite de ontem, 22. A empresa ressaltou que essa medida é comum em casos como esse, em que há questionamentos por parte dos acionistas sobre o valor proposto para encerrar o capital da empresa.

Recentemente, um grupo de gestoras que detêm cerca de 10% do capital da Cielo enviou uma carta ao conselho de administração pedindo a convocação da assembleia. Eles alegaram que, conforme os termos propostos, os acionistas minoritários deixariam de receber aproximadamente R$ 3,6 bilhões.

A principal razão da insatisfação desse grupo está relacionada ao valor proposto por Bradesco e BB para a compra das ações da Cielo. Enquanto a proposta das instituições financeiras colocava o valor por ação em R$ 5,35, as gestoras argumentaram que, pelas premissas deles, o valor correto seria de aproximadamente R$ 8,61 por ativo. Isso representaria um montante entre R$ 8,7 bilhões e R$ 9,5 bilhões, um valor significativamente maior do que o proposto inicialmente.

Essa situação evidencia a complexidade envolvida em processos de OPA e a importância da transparência e da comunicação eficaz com os acionistas. A Cielo terá agora a tarefa de lidar com essas divergências e buscar uma solução que atenda aos interesses de todas as partes envolvidas.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo