Crianças do projeto Botânico Mirim visitam o Centro de Triagem de Animais Silvestres em Alagoas


As crianças do Botânico Mirim, projeto desenvolvido pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA/AL), tiveram a oportunidade de conhecer o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) nesta quarta-feira (18). O Cetas é administrado em parceria com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e o IMA, e recebe animais que passaram por situações de crime ambiental e estão em tratamento.

Durante a visita, as crianças puderam aprender mais sobre os animais que são acolhidos no Cetas. O centro recebe animais de diversas espécies, que foram criados de forma ilegal ou apreendidos em ações de fiscalização. Após o resgate, os animais passam por um tratamento e uma triagem, para verificar se estão aptos a serem devolvidos à natureza.

Para as espécies que não podem ser reintroduzidas em seu habitat natural, há destinos alternativos, como zoológicos. A visita ao Cetas permitiu que as crianças conhecessem alguns animais em tratamento, como cobras, jacarés, bichos-preguiça, maracanãs e gambás. Além disso, elas puderam tirar dúvidas e participar de dinâmicas sobre o que aprenderam durante a visita.

A veterinária e bióloga do IMA, Ana Cecília Pires, ressaltou a importância da educação ambiental direcionada às crianças. Segundo ela, as crianças têm mais facilidade em assimilar novos conhecimentos e desenvolver uma consciência ambiental, enquanto os adultos muitas vezes já possuem uma cultura de caçar e maltratar animais.

A estudante de medicina veterinária e estagiária do IMA atuante no Cetas, Vitória Gabriela Freitas, destacou a importância de esclarecer as dúvidas das crianças, pois isso pode despertar nelas o interesse por profissões relacionadas à preservação da fauna. Além disso, esse tipo de visita também funciona como uma medida preventiva, ao conscientizar as crianças sobre a importância de cuidar dos animais desde cedo.

Durante a visita, cada animal teve sua ficha técnica compartilhada com as crianças, além de curiosidades, ocorrência e informações sobre o que fazer caso encontrem uma espécie fora de seu habitat natural. Também foi destacado o quanto é prejudicial para os animais não estarem em um ambiente adequado ou serem vítimas de maus tratos.

É importante ressaltar que os animais selecionados para a apresentação durante a visita não estavam em tratamento com medicamentos, nem possuíam fraturas. Além disso, foram evitados animais com temperamento mais agressivo, visando prevenir possíveis impasses e a transmissão de doenças tanto para os animais quanto para as pessoas presentes.

Dessa forma, a visita ao Cetas proporcionou às crianças do Botânico Mirim uma experiência enriquecedora de aprendizado e reflexão sobre a importância da preservação da fauna e do meio ambiente.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo