Coreia do Norte anuncia nova arma de foguetes de 240 mm e reforça capacidade de combate das Forças Armadas em 2024.


A Coreia do Norte está em processo de equipar suas Forças Armadas com novos sistemas múltiplos de lança-foguetes de 240 mm, conforme anunciado pela imprensa estatal neste sábado. Essa medida representa uma “mudança significativa” nas capacidades de combate da artilharia do país. O líder norte-coreano, Kim Jong-un, supervisionou um teste do sistema, descrito como “tecnicamente atualizado”, na última sexta-feira, de acordo com a agência de imprensa oficial KCNA.

De acordo com informações da mídia estatal de Pyongyang, em fevereiro foi anunciado o desenvolvimento de um novo sistema de controle para os lançadores de foguetes de 240 mm, o que representaria uma “mudança qualitativa” nas capacidades de defesa do país. A previsão é que essas melhorias sejam implementadas nas unidades do Exército Popular Coreano entre os anos de 2024 e 2026.

A agência KCNA ainda relatou que em breve haverá uma alteração significativa para aprimorar as capacidades de combate da artilharia do Exército, sem fornecer detalhes adicionais. Analistas afirmam que a Coreia do Norte está aumentando a produção e os testes de mísseis de cruzeiro e de artilharia para vendê-los à Rússia, que necessita dessas armas em seu conflito com a Ucrânia. Pyongyang e Moscou têm reforçado sua cooperação militar desde uma cúpula entre Kim e Vladimir Putin no ano passado.

Essas ações têm gerado tensões não apenas com os Estados Unidos, que acusam a Coreia do Norte de fornecer armas à Rússia em desrespeito às sanções da ONU, mas também com a Coreia do Sul. Em dezembro, Kim Jong-un ordenou a aceleração dos preparativos militares para uma possível “guerra” que, segundo ele, pode estourar a qualquer momento. As relações entre as duas Coreias estão no ponto mais baixo em décadas, com Kim consagrando o estatuto nuclear do país na Constituição e realizando testes avançados de mísseis balísticos intercontinentais. A situação na região é de grande instabilidade e incerteza.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo