Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprova venda da Amil para José Seripieri Filho, fundador da Qualicorp, sem restrições


O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a venda da operadora de saúde Amil para o empresário José Seripieri Filho, o fundador da Qualicorp. A decisão foi oficializada e publicada nesta quarta-feira, no Diário Oficial. A transação, que já havia sido aprovada pelo Conselho de Administração da americana UnitedHealth Group (UHG) em dezembro, teve um valor equivalente a R$ 11 bilhões. Desse montante, R$ 2 bilhões correspondem ao controle acionário da Amil e R$ 9 bilhões estão relacionados a passivos, de acordo com fontes próximas à operação.

Com essa aquisição, Júnior se tornará o único proprietário da Amil. A disposição do empresário em assumir a empresa em “porteira fechada”, absorvendo passivos passados e futuros associados à operadora, foi determinante para o fechamento do negócio, conforme informaram interlocutores. A Amil possui uma carteira com mais de 3 milhões de beneficiários em planos de saúde, além de mais de 2 milhões em planos odontológicos. Além disso, a empresa dispõe de uma rede que engloba quase 20 hospitais, 52 unidades de atendimento, laboratórios e centros de diagnóstico. Já a UHG Brasil é proprietária da Rede Americas, composta por 28 centros médicos e clínicas, sete centros de excelência e 12 hospitais.

Apesar da aprovação do Cade, a mudança no controle acionário da Amil ainda depende de autorização da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Vale ressaltar que em 2022, a UHG tentou realizar um desmembramento da operação da Amil, transferindo a carteira de planos individuais para uma operadora de menor porte, porém, a transação foi bloqueada pela agência reguladora.

A venda da Amil para José Seripieri Filho representa uma importante movimentação no setor de planos de saúde no Brasil, reforçando a presença de empresários consolidados no mercado e sinalizando possíveis mudanças e inovações no segmento. A aquisição também reforça o poder de influência e a capacidade de investimento de empresários do ramo da saúde, que buscam expandir suas atuações e ampliar sua participação no mercado nacional.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo