CAMARA DOS DEPUTADOS – “Debate na Câmara discute desafios no atendimento de saúde e educação para surdos oralizados”


Nesta terça-feira (28), a Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos Deputados promoverá um debate sobre os desafios nas escolas no atendimento de saúde de surdos oralizados. A discussão tem como objetivo abordar a situação dessas pessoas, que podem ou não usar aparelho auditivo, implante coclear ou fazer leitura labial.

Os surdos oralizados são aqueles que aprenderam a falar, o que muitas vezes os leva a serem confundidos com pessoas ouvintes. A deputada Amália Barros (PL-MT) propôs o debate e destaca a demanda tanto pela elaboração de projetos de lei quanto por ações de fiscalização das ações que têm sido desenvolvidas pelo Poder Executivo em relação ao estudo do surdo oralizado.

A parlamentar ressalta a importância de dialogar sobre medidas que reforcem o cumprimento da legislação atual, que prevê a oferta de tecnologias assistivas para os surdos oralizados. Além disso, ela ressalta a necessidade de fiscalizar as ações desenvolvidas pelo Poder Executivo nesse sentido.

O debate terá início às 13 horas, no plenário 13. Entre os tópicos a serem discutidos estão a situação atual das escolas no atendimento de saúde de surdos oralizados e o papel do Estado na garantia do cumprimento da legislação. Esta é uma oportunidade para que especialistas, representantes do governo e da sociedade civil possam contribuir com propostas e ações efetivas para melhorar a condição dos surdos oralizados no país.

A lista completa de convidados para o debate está disponível no site da Câmara dos Deputados. A expectativa é que o evento reúna um público interessado em contribuir para a construção de um cenário mais inclusivo e acessível para os surdos oralizados.

Diante desse contexto, a discussão promovida pela Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência se torna um passo importante na busca por soluções e políticas que atendam às necessidades e garantam os direitos das pessoas surdas oralizadas.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo